RENDALÍSSIMA | Moda e estilo

0
513

Na música, uma cantiga. Na estatística, um valor que possui o maior número de ocorrências num levantamento de frequências. No dicionário, um uso passageiro que regula a forma de viver e vestir, de acordo com o gosto do momento. No meu mundo, Moda é arte.

Não são raras as vezes em que os dois conceitos se misturam na sabedoria popular, abrindo portas ao engano de que só tem estilo quem está na moda. A verdade é que estilo e moda não são sinónimos.

O estilo é como uma impressão digital, um espelho da individualidade, reflexo da personalidade. Embora inclua tendências e possa albergar pedaços de Moda, não é disso que depende. Através dele, presumem-se traços característicos da pessoa, bem como o meio em que se move ou qual o seu enquadramento socioeconómico e profissional.

Estilo
Jackie O. e Audrey Hepburn continuam a ser referências de estilo. Note-se como tudo o que vestem poderia ser utilizado na actualidade.

Nos estudos relativos à Consultoria de Imagem, catalogamos os estilos e concluímos que cada indivíduo tem um estilo predominante aliado a outros dois. Com a ajuda de um profissional, qualquer um pode descobrir qual o fio condutor a seguir para melhor transmitir ao mundo a mensagem da sua essência, ou seja, a imagem que melhor o descreve.

Estilo não tem nada a ver com vestir, dos pés à cabeça, o que é colocado nas montras das lojas do Grupo Inditex. Por mais que se vá alterando e evoluindo com o atravessar das diferentes fases inerentes à vivência humana, há nele coerência e por isso mesmo, um quê de intemporalidade. Não é passageiro e é facilmente reconhecido, mesmo que por vezes seja camaleónico e experimental.

A Moda é o que nos provoca emoção. Por vezes, comove. Faz nascer desejo. Noutros momentos, causa repulsa. Ame-se ou odeie-se, a materialização da criatividade de um designer mexe connosco. Nas passerelles, nas revistas, nos figurinos de peças de teatro, séries ou spots publicitários.
Lembro-me de ansiar pela edição da Vogue de Setembro, ainda menina. Analisava meticulosamente as páginas que anunciavam as tendências para a estação fria num misto de receio e esperança, porque todos os anos havia algo que custava a aceitar e que me pesava mais que a excitação pelo que me fazia querer correr para as compras.

Moda
Em criações mais clássicas ou avant-garde, Moda é expressão artística através do vestuário.

Moda é uma forma artística de contar a História da Humanidade, ou não poderíamos associar as franjas aos loucos anos 20, as boca-de-sino às décadas de 60 e 70 ou os enchumaços nos ombros aos berrantes anos 80. Ela acompanha-nos, às vezes ultrapassa-nos e é incompreendida, mas não passa despercebida. Deus quer, o Homem sonha, a obra nasce, sendo que o Homem neste caso, são pessoas que não precisam de mais do que um nome para serem imediatamente identificados: Valentino, Galliano, Karl.
Do lápis para as linhas e agulhas, surge esplendorosa nas Semanas da Moda, de onde virá a saltar para a rua, já desconstruída e reinterpretada, até ser banalizada, perder o interesse e, com ele, a capacidade de despertar desejo no consumidor, que já estará distraído com algo lançado mais recentemente.

Ela define cores, padrões, texturas e cortes que vamos querer usar. Incute elementos seus em todos os estilos, mesmo que de forma tão subtil e imperceptível a olho nu que duvidemos até que a Rainha de Inglaterra, nos seus tailleurs elegantemente tradicionais, tenha laivos de Moda – e tem! No entanto, no seu estado mais puro demora a entranhar-se, causa estranheza, choca ou apaixona ao primeiro olhar. Como quando apreciamos arte num museu, mas com efemeridade.

Porque o estilo, esse, é eterno. Talvez por isso continuemos a ter como referência mulheres de outras eras.

Partilhar
Artigo anteriorImobiliária quer ser porta de entrada para mais investidores estrangeiros
Próximo artigoPSP detém quatro condutores alcoolizados
Depois de se dedicar ao Jornalismo, decidiu aprofundar os seus conhecimentos numa vertente menos explorada ao longo da sua formação académica, a comunicação não-verbal. Após uma especialização em Lisboa em Consultoria de Imagem, lançou-se a título pessoal na área da Moda. No último ano, foi contratada pelo grupo Sonae para realizar serviços de Personal Shopping aos seus clientes, marcou presença na Vogue Fashion's Night Out, trabalhou no grupo Creative Concept como responsável pela gestão dos cursos leccionados e pelo departamento de Comunicação da Creative Academy e actualmente exerce funções enquanto Social Media Manager de eventos de Moda. Trabalha de perto com grandes marcas de luxo internacionais sediadas na Avenida da Liberdade e com designers portugueses vocacionados para noivas. Em Pombal tem uma parceria com a Quinta da Concha, o primeiro espaço da região dedicado a casamentos a disponibilizar os serviços de uma fashion adviser. Apesar de se mover na capital, tem especial gosto pelo trabalho com clientes da zona centro. Contactos: anarendalltomaz@gmail.com||www.facebook.com/anarendallstylist/