JSD acusa Pedro Brilhante de revelar uma postura “antidemocrática”

0
297

A Juventude Social-Democrata (JSD) de Pombal acusou o presidente da Comissão Política Distrital, Pedro Brilhante, de revelar “uma postura antidemocrática, de desrespeito pelas opiniões contrárias e marginalização daqueles que as emitem”. Através de um comunicado, subscrito por outras estruturas concelhias, foi assumida uma rotura com a estrutura distrital que, por sua vez, refuta as acusações.
Os jovens social-democratas referem que “os espaços de discussão política têm sido praticamente inexistentes, não havendo, durante largos meses, lugar a reuniões de Comissão Política e, muito menos, a reuniões do Conselho Distrital, num flagrante desrespeito pelos Estatutos da JSD”. “O processo decisório é verdadeiramente autocrático, centrando-se no presidente da Comissão Política e na sua Comissão Política Permanente, órgão cuja constituição não está prevista estatutariamente e que foi desenhado à medida para tirar margem para vozes discordantes”, adiantam.
Entre outros aspectos, a JSD acusa Pedro Brilhante, que é também vereador da Câmara de Pombal, de “show-off” e de “maquilhar o desmembramento” da Distrital.
Em reacção, a Comissão Política Distrital emitiu um comunicado no qual repudia “todas as acusações que lhe foram dirigidas” pelas diversas concelhias que subscreveram o documento.
No caso da JSD de Pombal, a equipa liderada por Pedro Brilhante refere que a Concelhia “está demissionária, devendo entrar em processo eleitoral nas próximas semanas”. “Se a ex-presidente [Nicolle Lourenço, membro da Assembleia Municipal] se demitiu das suas funções na Distrital é um direito que lhe assiste, mas não pode veicular que a Concelhia de Pombal rompeu com a Distrital, quando é a maior estrutura política de militantes que apoia esta Comissão Política Distrital”, frisa.
“Esta Comissão Política sempre pugnou pela liberdade, de acção e opinião. Aliás, é por isso que causa, não raras vezes, desconforto ao partido pela forma séria, responsável e irreverente como faz política. O problema é que, para alguns militantes que, num pequeno cartel interno com apoio de algumas figuras distritais do partido, procuram, através destes números, descredibilizar uma estrutura política que é conhecida em todo o país pela forma abnegada como está e faz política, desprendida de seguidismos e vassalagens”, refere, entre outros vários esclarecimentos.
Entretanto, Nuno Carrasqueira, presidente da Mesa do Plenário da JSD Pombal, e secretário de Pedro Brilhante na vereação da Câmara Municipal, desmentiu que a Comissão Política Concelhia “esteja demissionária”.
“Cabe à Mesa do Plenário aceitar demissões e convocar actos eleitorais. Não há qualquer decisão nesse sentido”, realça, acrescentando que a Nacional da JSD “confirmou não ter quaisquer informações que confirmassem a veracidade destas informações”.

Partilhar
Artigo anteriorMunicípio formaliza projecto-piloto de apoio a crianças autistas
Próximo artigoAll House promove Workshop de Arrumação e Organização do lar
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.