PS aposta em Jorge Claro para a Câmara Municipal

0
2776

Jorge Claro, ex-vereador da presidência de Guilherme Santos, regressou à vida política em 2013 e apresenta-se agora como candidato à Câmara pelo PS.

A Comissão Política Concelhia do Partido Socialista (PS) de Pombal ratificou, no passado dia 16, a proposta do secretariado em candidatar Jorge dos Santos Claro, actual vereador, à presidência da Câmara Municipal, nas próximas eleições Autárquicas.

“O PS considera que se trata de um candidato credível, capaz e profundamente conhecedor do concelho e das suas gentes”, refere aquela estrutura concelhia, presidida por Alberto Gameiro Jorge, através de um comunicado, sem especificar qual a votação obtida pela proposta. Acrescenta, ainda, que Jorge Claro, é “dono de um percurso profissional irrepreensível mas também de uma dedicação ao serviço público extremamente relevante”.

Com 62 anos, Jorge Claro é licenciado em Engenharia Alimentar e pós graduado em Gestão da Qualidade e Segurança Alimentar e em Ciências do Consumo Alimentar. Foi Técnico do Ministério da Agricultura e Inspector do Ministério da Economia, tendo-se aposentado como inspector-chefe da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE). Foi também administrador de empresas, com destaque para o Mercado Abastecedor de Coimbra e para a Rádio Cardal, do qual foi co-fundador e director. Antes, foi também presidente da Cooperativa Agrícola do Concelho de Pombal e director da União das Cooperativas. O seu nome consta, igualmente, como dirigente de algumas associações e instituições, tendo sido presidente da Mesa da Assembleia Geral da Cercipom.
Em termos políticos, Jorge Claro foi vereador da Câmara Municipal de Pombal na década de 80, então presidida pelo socialista Guilherme Santos, falecido num acidente de viação em 1989.
Em 2013, Jorge Claro regressou à política activa, figurando como número dois da lista socialista à presidência da autarquia, liderada por Adelino Mendes, depois de o seu nome ter sido várias vezes veiculado como sendo ele próprio o cabeça-de-lista.

Durante o corrente mandato autárquico, o antigo inspector da ASAE tem exercido as funções de vereador na bancada da oposição ao executivo presidido pelo social-democrata Diogo Mateus, coadjuvado por Marlene Matias e Aníbal Cardona, este último que tem substituído Adelino Mendes nas reuniões camarárias.

De referir que Jorge Claro é o primeiro candidato assumido à Câmara de Pombal, devendo o PSD optar pela recandidatura de Diogo Mateus, apesar do seu antecessor e actual presidente da Assembleia Municipal, Narciso Mota, ter anunciado a sua intenção em se candidatar, “com ou sem apoio do partido”. Por sua vez, o Movimento Partido da Terra já informou a sua intenção em apresentar uma candidatura nas próximas eleições Autárquicas, devendo a escolha do cabeça-de-lista recair no líder concelhio, Álvaro Lopes.

Também o CDS-PP deverá apresentar, dentro de algumas semanas, o seu candidato, acontecendo o mesmo com a CDU. Duas forças partidárias que nas últimas eleições, em 2013, surpreenderam o eleitorado ao eleger membros para a Assembleia Municipal, dois pelo CDS-PP e um pela CDU.

Partilhar
Artigo anteriorPSD avança com recandidatura de Diogo Mateus à Câmara de Pombal
Próximo artigoRui Oliveira é candidato à Assembleia Municipal de Ansião
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal”, quinzenário com o qual deixou de colaborar no final de Maio de 2020.