Obras da futura creche da Assanha da Paz deverão começar em Julho

0
335

A nova resposta social da freguesia – e a primeira nesta valência – terá capacidade para acolher 42 crianças, distribuídas pelo berçário e duas salas de actividades, e vai integrar a rede de creches gratuitas. Ficará instalada no edifício onde actualmente funciona o jardim-de-infância que, por sua vez, passará para a antiga escola primária (desactivada), após a realização de obras.

A creche ficará no edifício mais recente, à esquerda, e o pré-escolar no da direita (antiga escola primária)

No início de 2023, tudo apontava para que a futura creche da Assanha da Paz abrisse portas em Setembro, no arranque do ano lectivo. Alterações ao projecto inicial ditaram o adiamento da obra que, segundo as previsões do Município de Pombal, deverá agora avançar no próximo mês de Julho.

Com um investimento previsto na ordem dos 400 mil euros, a nova valência será instalada no edifício do actual Jardim-de-Infância, mas até à conclusão das obras é preciso encontrar um espaço para acolher os alunos, uma vez que a antiga escola primária, para onde serão depois transferidos, será igualmente alvo de intervenção.

A solução provisória foi uma das questões abordadas aquando da visita de trabalho do executivo e de técnicos do Município a Almagreira, no passado dia 8 de Maio. À comitiva juntou-se também, para além do presidente e do tesoureiro da Junta de Freguesia, a presidente da Assembleia de Freguesia, Nélia dos Santos.

 

Creche gratuita

Depois de concluída, aquela que será a primeira creche da freguesia de Almagreira passará a integrar a rede de creches gratuitas do distrito de Leiria, conforme o Pombal Jornal já noticiou em Fevereiro de 2023, na sequência da visita do director do Centro Distrital de Segurança Social às instalações. A nova valência será dinamizada pela ACUREDE – Associação de Promoção Social, Cultural, Recreativa e Desportiva da Guia, que vai protocolar o funcionamento com a Segurança Social. Trata-se de “um parceiro com muita experiência, [sendo] provavelmente a instituição do concelho com mais crianças ao seu cuidado”, pelo que “tem um know -how muito grande, que nos dá garantias de que este projecto tem futuro”, explicou, naquela altura, o presidente da Junta de Freguesia, Humberto Lopes.

A creche será composta por um berçário com capacidade para 10 crianças (até aquisição de marcha), uma sala de actividades para 14 crianças até aos 24 meses e uma sala de actividades para 18 crianças com idades entre os 24 e os 36 meses.

No espaço destinado à creche será ainda instalado um refeitório, aproveitando a sala de apoio existente, destacando-se também uma área de recreio exterior, devidamente vedado e equipado, com áreas pavimentadas e ajardinadas.

Por sua vez, o ensino pré-escolar, que transitará para a antiga escola primária, terá capacidade para 50 crianças, repartidas por duas salas de actividades. O edifício ficará munido, entre outros, de uma sala polivalente, ocupando parte do espaço do átrio existente e encerrando o telheiro do lado direito, bem como um recreio interior e um recreio exterior, devidamente vedado e equipado, com áreas pavimentadas e ajardinadas.

Para o presidente da Junta, a garantia de sucesso é também sustentada pela “localização excelente”, uma vez que “este edifício está muito próximo do Parque Industrial Manuel da Mota e é um ponto de fácil acesso para os pais deixarem e pegarem as crianças no percurso normal para o trabalho, independentemente de serem ou não residentes no concelho”, destacou Humberto Lopes nas declarações prestadas em Fevereiro de 2023. Por outro lado, um “levantamento feito no ano passado [2022] pela Comissão Social de Freguesia” permitiu perceber que “há pelo menos cerca de 40 interessados”, ou seja, a lotação da creche.

Este dado confirma que a creche “é uma necessidade, que já estava diagnosticada na freguesia de Almagreira”, realçou o autarca na mesma ocasião, recordando que naquele território “não há nenhuma resposta, seja ela pública ou privada”, sublinhou na mesma ocasião. “Temos de conseguir concretizar este projecto, porque a necessidade é tão grande, que na cidade de Pombal não há vagas e todos os dias aparecem pessoas à procura, seja nas instituições ou nas juntas de freguesia”.

*Notícia publicada na edição impressa de 23 de Maio