Parque empresarial do Camporês vai ser ampliado

0
82

A Câmara de Ansião colocou em discussão pública, até ao dia 14 de Fevereiro, o projecto de ampliação do parque empresarial do Camporês, que contempla a criação de 23 lotes destinados a indústria, armazenagem, comércio e serviços, numa área superior a 117 mil metros quadrados.
Até à data limite todos os interessados poderão apresentar as suas reclamações, observações, sugestões e pedidos de esclarecimento, junto do município, através de formulário próprio.
De acordo com a memória descritiva do respectivo projecto, a solução proposta teve como base o estudo em tempo elaborado pelo município, o qual foi agora reformulado e adaptado “à actual conjuntura do mercado”, permitindo, assim, “uma mais rápida comercialização e consequentemente instalação de novas unidades, por forma a dinamizar o concelho”.
Para o efeito, o gabinete projectista procedeu a “alguns ajustes” na estrutura viária, nomeadamente a nível de raios de curvatura e supressão de um troço, entre outros aspectos.
“A primeira dificuldade encontrada na elaboração do presente estudo prendeu-se com a ligação ao IC8 e a forma como se deverá articular este novo espaço empresarial, situado a Norte do itinerário complementar, com o já existente e consolidado a Sul”, refere.
No entender dos projectistas, “a solução encontrada não é a que melhor se adapta a este tipo de intervenção”, uma vez que “estamos em presença de um parque empresarial de grande dimensão atravessado no sentido Poente/ Nascente por uma via estruturante definido no Plano Rodoviário Nacional como IC8”.
“Contrariamente aos argumentos por nós apresentados e reforçados pelo município, a questão económica foi determinante na opção por parte da Infraestruturas de Portugal, tendo sido preterido um nó desnivelado por uma intervenção circular giratória”, refere a equipa técnica da Aquavia – Gabinete de Estudo e Projectos de Obras.
Os projectistas apresentam uma proposta para a divisão do espaço de ampliação em 23 lotes para actividades económicas com áreas compreendidas entre 2.160 m2 e 15.725 m2. “Dada a actual conjuntura económica e no sentido de permitir a instalação neste espaço de outras actividades, para além da indústria e armazenagem, este estudo contempla também a possibilidade da instalação de comércio e/ ou serviços”, referem.

Notícia publicada na Edição de 31 de Janeiro

Partilhar
Artigo anteriorVistoria técnica exige obras em antigo colégio
Próximo artigoMuseu de História Natural revela dinossáurio dos Andrés
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.