Município implementa projecto-piloto para crianças autistas

0
100

O Município de Pombal vai implementar um projecto-piloto para dar “resposta pedagógica complementar, terapêutica e social para crianças com perturbações do espectro do autismo que frequentam a educação pré-escolar”. A iniciativa surge no âmbito da proposta vencedora do Orçamento Participativo de 2016: Projecto de Apoio e Recursos para o Autismo (PARA).
De acordo com a proposta de Ana Maria Cabral, vereadora com o pelouro do Desenvolvimento Social e Saúde, aprovada na última reunião do executivo, o município ao implementar o projecto PARA tem por objectivo principal “fomentar um projecto-piloto com duração de 12 meses, a ser monitorizado e avaliado por uma comissão de avaliação nas áreas técnicas das respectivas componentes administrativo-financeiro, pedagógica e de saúde”. “Esta avaliação do programa permitirá a monitorização analítica do programa, sustentando a sua continuidade”, garante, frisando: “queremos que este projecto-piloto, a bem do serviço público, seja bem-sucedido, dignificando o carácter social e emergente que lhe subjaz.”
Para o efeito, a autarquia já contratou técnicas, nomeadamente uma terapeuta da fala, uma auxiliar de intervenção precoce e uma responsável da unidade estruturada, que já frequentaram uma formação de 30 horas “relativa à metodologia de intervenção a implementar”. Uma metodologia que “prevê o treino de competências essenciais para o dia-a-dia das crianças, de forma dirigida e intensiva”, refere a autarquia.
Segundo a Câmara Municipal, a equipa técnica “procedeu a uma pré-avaliação das crianças sinalizadas, nos jardins-de-infância aderentes”. “Foram recolhidos os consentimentos dos encarregados de educação, tendo sido efectuadas visitas a oito estabelecimentos de ensino”, refere, adiantando que “este momento de avaliação tem como objectivo conhecer as crianças e recolher dados importantes para a sua caracterização junto de cada uma das educadoras, assim como para aplicação de uma breve avaliação para determinar quais as competências básicas de cada uma delas”.
O projecto-piloto tem como parceiros do município, a Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados (Cercipom), Centro de Saúde de Pombal e os três agrupamentos de escola do concelho.

Partilhar
Artigo anteriorPresidente “perde” secretária de apoio
Próximo artigoRENDALÍSSIMA | uma questão de pele
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.