Três pombalenses nomeados para Portugueses de Valor

0
914

De entre os 100 nomeados para os prémios Portugueses de Valor, encontram-se três pombalenses. A iniciativa da Lusopress, que pretende prestar homenagem a empresários empreendedores que honram a identidade portuguesa além-fronteiras, decorrerá nos próximos dias 24, 25 e 26 em Faro.

Tratam-se de “homens e mulheres que se sacrificaram e tiveram o arrojo e a coragem de deixar a sua terra à procura de melhores condições de vida para si e para os seus, sem nunca esquecerem as suas raízes”.
Um dos nomeados é Aires Mendes de Abreu, natural de São Simão de Litém. Actualmente com 64 anos de idade, o emigrante viajou para França aos 17 anos de idade, tendo começado logo a trabalhar na construção civil. Apesar de ter também trabalhado na restauração, foi na área da construção que Aires Abreu se lançou por conta própria. Com a esposa, arquitecta de profissão, edificou alguns imóveis deixando em cada um deles a marca portuguesa.
Com 45 anos de emigração, o simonense continua a ajudar o território e colectividades do território de origem. Não pode vir a Portugal sem visitar a sua terra natal. Actualmente dedica-se ao golfe, sendo também um coleccionador de carros antigos.
Outro dos nomeados é José Gonçalves, natural da freguesia de Carnide. Também empresário da construção civil, o emigrante de 66 anos é o responsável por uma empresa de aluguer de gruas, depois de ter, em Portugal, sido resineiro e trabalhador agrícola.
Em 1970, José Gonçalves emigrou para França a salto, tendo trabalhado na construção civil. Neste momento, a sua empresa “AMP” tem cerca de 200 gruas que aluga e monta na região parisiense. Caracteriza-se por ser “humano, trabalhador e humilde”, e é com orgulho que se apresenta como associado da Academia do Bacalhau de Paris.
Por sua vez, apesar de não ter nascido em Pombal, foi em Santiago de Litém, terra dos seus pais, que Rui Gameiro viveu a sua infância. Por influência do irmão emigrou para França e, mais tarde, com a ajuda do pai ingressou na área da restauração. Acabaria por fundar, com um amigo, duas empresas, uma delas ainda existente. Após uma doença súbita, Rui Gameiro aposentou-se, mas o emigrante aproveita a vida de forma apaixonada e não esquece as suas raízes.

Partilhar
Artigo anteriorGuilherme Gomes: “Quero ser campeão do Mundo”
Próximo artigoExposicó 2019: Queijo, vinho, azeite e mel promovem a região
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.