RENDALÍSSIMA | ESTILO PESSOAL – como descobrir o seu?

0
215


É um tema central na minha profissão. Desenvolver o estilo pessoal de cada cliente que me procura é uma missão. Acender identidades, fazendo com que as personalidades sejam emanadas através das escolhas feitas a cada manhã é um trabalho que me faz sentir feliz e realizada porque incrementa o amor-próprio e confere segurança a quem se deixa levar pelo processo de auto-conhecimento necessário à criação de uma imagem coerente com a sua essência.
Se lhe perguntar qual é o seu estilo pessoal ou como o definiria, o que me diria? Sabia que a grande maioria dos portugueses não sabe o que responder a esta questão? Hoje decidi explicar como entender qual é o seu estilo para que possa melhorá-lo, enriquecê-lo e perceber melhor qual o rumo a seguir para gostar mais do que vê quando se olha ao espelho.

 

 


1. Para desenvolver o nosso estilo pessoal, convém começar por recordar que já temos um, ainda que não o reconheçamos.
O estilo é uma fusão de gosto e funcionalidade. Mesmo que não saiba exactamente do que gosta ou que julgue não atribuir qualquer importância ao que veste porque só o faz para cobrir o corpo, a verdade é que cada escolha sua manifesta uma preferência. Cada peça que usa transmite uma tendência estética, muitas vezes uma necessidade que sente ou ainda uma ambição sua. Se lhe perguntar qual o seu filme preferido, que bandas ouve ou que obra de arte o marcou, terá a resposta na ponta da língua, certo? Tudo isto diz respeito ao gosto, a parte bela e criativa do estilo.
A metade mais aborrecida é aquela que se refere à funcionalidade e que condiciona as nossas opções. Tem a ver com o local onde trabalhamos, a forma como nos deslocamos até lá, o clima que enfrentaremos durante o dia e resumindo, o conforto. É por isso que por mais que apreciemos o estilo de alguém, muitas vezes ele não encaixa no nosso quotidiano, razão pela qual adaptamos o nosso gosto à realidade que vivemos.

 

 


2. Importa lembrar a diferença entre Moda e Estilo!
Já aqui frisei que Moda é arte e repeti várias vezes que as tendências se alteram sazonalmente. Um desfile de alta costura é como um prato de um sofisticado restaurante de cinco estrelas, que revela expertise e inovação mas que não degustamos todos os dias. Quanto ao estilo, seguindo a mesma analogia, seria como a comida caseira inesquecível que a nossa mãe faz – pode não ter tanta arte na confecção mas tem cunho pessoal e um sabor único. E essa não é exclusividade de dias especiais porque faz parte da nossa rotina, acompanha-nos.
O nosso estilo pessoal, ainda que não pensemos nele com profundidade, tem influências religiosas, políticas e culturais. É influenciado pela subcultura com que mais nos identificamos, com o clima, o biótipo, a profissão ou o contexto sócio-economico, ou seja, detalhes sociológicos que não são influenciados pelas passerelles nem pelas revistas.

 

 


3. Auto-conhecimento é tudo!
Quanto melhor nos conhecemos, mais nos respeitamos, bem como aos nossos gostos e vontades. Do mesmo modo, quanto melhor conhecemos o nosso corpo e as suas particularidades, mais simples será vesti-lo, enaltecê-lo e favorecê-lo.
É por isso que parar por alguns minutos para analisar todas as nossas escolhas e perceber porque comprámos o que temos é essencial para fazer um upgrade. Vale a pena pensar no nosso guarda-roupa, trabalhá-lo no sentido de manter apenas o que nos faz sentir muito bem e de o ampliar na direcção certa.
Abra o seu armário e analise: tem uma extensa diversidade de cores ou adquire sempre peças nos mesmos tons? Gosta de padrões ou prefere lisos? E os tecidos, como caem? Dá primazia ao conforto ou nem por isso? O que tenta esconder com as roupas que usa? O que pretende mostrar com as roupas que usa?
Entender que peças de vestuário expressam melhor a nossa identidade é um processo de descoberta que implica curiosidade acerca do todo que somos.
É por tudo isto que é útil avançar para um closet detox sem medos, para mergulhar num processo de auto-conhecimento que lhe dará toda a confiança para usar todas as suas roupas com segurança e comprar apenas aquilo que o completará. O estilo pessoal vai-se apurando com o tempo, à medida que lhe dedicamos alguma atenção. Está feliz com o seu ou vai tomar uma atitude?

Partilhar
Artigo anteriorGerente da Casa Líder distinguido como “Profissional do Ano”
Próximo artigoXadrez: Equipa pombalense vence em Montemor-o-Velho
Depois de se dedicar ao Jornalismo, decidiu aprofundar os seus conhecimentos numa vertente menos explorada ao longo da sua formação académica, a comunicação não-verbal. Após uma especialização em Lisboa em Consultoria de Imagem, lançou-se a título pessoal na área da Moda e assume-se em 2018 como a primeira Fashion Therapist do país. Já foi contratada pelo grupo Sonae para realizar serviços de Personal Shopping aos seus clientes, marca presença na Vogue Fashion's Night Out, trabalhou no grupo Creative Concept como responsável pela gestão dos cursos leccionados e pelo departamento de Comunicação da Creative Academy e exerce funções enquanto Social Media Manager de eventos de Moda. Trabalha de perto com grandes marcas de luxo internacionais sediadas na Avenida da Liberdade e com designers portugueses vocacionados para noivas. Em Pombal tem uma parceria com a Quinta da Concha porque apesar de se mover na capital, tem especial gosto pelo trabalho com clientes da zona centro. Contactos: anarendalltomaz@gmail.com || https://www.anarendalltomaz.com/