Fomos ao Hospital

0
1410

Rodrigues Marques

Sabemos que a ida a um Hospital, no estado de doença e fora da nossa zona de conforto, acarreta, sempre, dificuldades de adaptação.
Foi o que nos aconteceu, volvidos 65 anos, e muito fragilizado.
O coração bem se esforçava por desempenhar a sua função, mas como parte da canalização estava obstruída tornava-se numa função hercúlea.
Para poderem ajudar alguém que passe por uma situação destas, sem responsabilizar o Estado pela causa, nem os cigarros pelo efeito, e muito menos falar pela boca de quem sabe, permitimo-nos relatar como é que fomos estabilizados e conduzidos, num “Fórmula Um” (a ABSC 01) dos Bombeiros de Pombal, até cruzarmos a meta, no Hospital Santo André, em Leiria.
Antes, tomámos a iniciativa de telefonar ao 112 que nos reencaminhou a chamada para o CODU (Centro de Orientação de Doentes Urgentes) que acionou os meios de socorro.
Fortes dores de costa, mau estar geral, aperto no peito sobre a zona do coração, vómitos e, assim, o CODU não hesitou em acionar os meios de socorro.
Conduzidos com a prudência dos Bombeiros profissionais, João Carlos e Nuno Marto, fomos entregues ao Dr. Sidarth Pernencar, da equipa do Dr. João Morais, Director do Serviço de Cardiologia do Centro Hospitalar de Leiria.
Foram todos de um profissionalismo e humanismo a toda a prova.
Foi-nos diagnosticado um enfarte agudo miocárdio.
Ultrapassado este, pelo eficiente diagnóstico e pelo eficaz tratamento, um agradecimento é devido, em nosso nome e de quantos foram aos Hospitais, a todos os profissionais que deram o seu melhor para nos repor o estado de saúde física, de conforto e psicológico, numa vasta Equipa chefiada pelo Dr. Helder Roque, enquanto Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Leiria e dos seus companheiros da Administração Dr. Licínio de Carvalho, Dra. Maria Alexandra Borges, Dra. Maria do Carmo Rocha e à Enfermeira Directora Maria Emília Fael.
Bem Hajam!
O Dr. Sidarth Pernencar, responsável pelo Programa Odysse, fez -nos a proposta de assinarmos um Protocolo que visa testar um novo fármaco, na redução dos valores do colesterol, de forma a aumentarmos a qualidade de vida.
Claro que assinámos.
E vamos de, novo, ao Hospital mas, agora, já não na qualidade de doente.

Partilhar
Artigo anteriorAs pessoas
Próximo artigoVeterinarices