Candidatos foram ao mercado a uma semana das eleições

0
1397

A uma semana das eleições Autárquicas as forças partidárias mediram forças junto dos eleitores. Ao início da manhã deste domingo todos os caminhos foram dar à tradicional feira e mercado da vila do Louriçal. Mas as saídas das missas também foram pintadas pelo colorido das caravanas eleitorais.

“Até dá vontade de rir com esta gente”, ouviu-se de um popular que, junto à principal rotunda da vila do Louriçal, assistia às movimentações políticas. Por ali andava a candidatura do CDS-PP, protagonizada pelos candidatos à Assembleia Municipal (Henrique Falcão), Câmara (Sidónio Santos) e Junta de Freguesia do Louriçal (Cidália Cardoso), que contou com a presença do seu congénere de Almagreira (Pedro Pinto). Munidos dos habituais “flyers”, algumas esferográficas e caixas distribuidoras de comprimidos, com o símbolo do partido estampado, os centristas lá foram cumprimentando os feirantes e os compradores. Sidónio Santos esteve à vontade no diálogo com os produtores de produtos agrícolas, não fosse ele o director-regional adjunto da Agricultura do Centro. “A agricultura faz bem à saúde”, disse o candidato ao entregar a uma munícipe a caixinha de plástico para a medicação “da manhã e da noite”. Depois de ouvir a senhora a dizer para ele manter sempre “o sorriso lindo”, o candidato não deixou passar a oportunidade sem avisar: “no domingo é neste símbolo que deve votar”.

Na mesma rua da feira, no centro do Louriçal, deu-se o encontro entre os centristas e a “onda laranja” do PSD. Mas como o trabalho estava por se fazer, o cumprimento entre adversários foi bastante rápido. Diogo Mateus, que se recandidata a segundo mandato à frente da Câmara, fazia-se acompanhar pelo também recandidato à Junta, José Manuel Marques, e os dois estabeleciam contactos com os transeuntes. O grupo incluía ainda a cabeça de lista à Assembleia Municipal, Fernanda Guardado, assim como alguns dos elementos das respectivas listas. Enquanto isso, na rotunda passou por diversas vezes o camião TIR que ostenta as imagens gigantes da campanha PSD, assim como alguns carros de som a entoar o hino do partido. Como a ida à feira do Louriçal já não era novidade para os social-democratas nesta campanha, a comitiva rumou para o centro da cidade, onde se encontrou com o candidato à Junta de Freguesia de Pombal, e líder concelhio do partido, Pedro Pimpão, à porta da Igreja do Cardal.

Ainda, pelas ruas do Louriçal, a comitiva do Partido Socialista tentou chamar à atenção dos munícipes. De t-shirts brancas com o símbolo do partido estampado a vermelho, os socialistas percorreram as diversas ruas da vila, com algumas bandeiras ao ombro. No meio do grupo circulavam os candidatos à Câmara e à Assembleia, Jorge Claro e Célio Fernandes. Uma campanha discreta sem grande aparato, a privilegiar o contacto pessoal com a população. Na rotunda, um carro da campanha circulava a apelar ao voto no candidato à Junta, Marco Neves.

Ainda na feira do Louriçal, outra comitiva, circulava pelas ruas da vila. Gonçalo Pessa (candidato à Câmara) e Célia Cavalheiro (cabeça de lista à Assembleia Municipal) procuravam sensibilizar as pessoas para a importância de votarem no Bloco de Esquerda. Curiosamente, o grupo de bloquistas, que integrava o candidato à Junta do Louriçal, João Pedro Domingues, seguia ao som da guitarra de Paulo Baptista Silva, aquele que deve ser o músico mais plurista do concelho, tendo em conta que já marcou presença em eventos de campanha de diversas candidaturas autárquicas.

Mais modesta estava o candidato à Junta de Freguesia do Louriçal pela CDU. Lécio Leal estava “instalado” na Praça Joaquim da Silva Cardoso, com uma pequena bancada decorada com a bandeira da coligação e onde se podiam ver algumas folhas impressas com o seu programa eleitoral e fotografia dos principais membros da sua lista.

Da passagem pela feira do Louriçal, não foi possível avistar nenhum elemento da candidatura Narciso Mota – Pombal Humano, mas os “flyers” colocados nos pára-brisas de automóveis estacionados deu para perceber que andaram por lá. Aliás, os “humanos” já tinham passado com a sua “onda azul” por aquela que é uma das maiores feiras da região, nos domingos anteriores. Por outro lado, estiveram em acção de campanha na véspera. Um sábado que foi aproveitado, ainda, para percorrer a freguesia do Carriço.

Durante a tarde de ontem, o movimento Narciso Mota – Pombal Humano (NMPH) não deixou de marcar presença naquela que é a freguesia mais próxima do mar. E que presença. Ao som do hino animado da campanha, os “humanos” acompanharam o candidato à Câmara com entusiasmo, com várias paragens junto dos populares. Narciso Mota visitou os utentes do Centro Social do Carriço, uma das maiores empresas da freguesia, uma destilaria e um barbeiro. O comendador, que presidiu à Câmara durante 20 anos, mostrou porque é que é apelidado de “candidato do povo”, tendo efectuado várias paragens para cumprimentar os munícipes com quem a caravana se cruzava.

Enquanto o movimento NMPH percorria os diversos lugares da freguesia, o PSD juntou meia centena no largo da Igreja para assistir à apresentação da recandidatura de Pedro Silva à Junta do Carriço. Sem a presença do candidato à Câmara, Diogo Mateus – ausente do concelho por motivos pessoais – o ainda presidente da Junta aproveitou o momento para fazer o balanço do seu mandato e divulgar as principais medidas do seu programa para o próximo quadriénio.

Partilhar
Artigo anteriorAgitação de ondas coloridas em noite política nas tasquinhas
Próximo artigoSocialistas ouvem queixas e pedidos na Guia
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal”, quinzenário com o qual deixou de colaborar no final de Maio de 2020.