Torresmos na Ilha é na Tasquinha do Rancho, mas há muito mais para degustar até domingo

0
642

Torresmos há muitos, mas há quem diga que os da Ilha são os melhores. Se por estes dias visitar as Tasquinhas da Ilha, pode ir comprovar isso mesmo. Fica desde já avisado que estes torresmos têm muito mais carne do que os tradicionais, assemelhando-se mais a uns rojões. Se quiser experimentar, o mais fácil é dirigir-se à tasquinha do Rancho, pois é esta colectividade a única a confeccionar este petisco durante o certame. E quem o prepara é António Melro, que faz torresmos há uma vida.

António Melro faz torresmos desde os 16 anos

Nascido na Ilha, António Melro começou a fazer torresmos ainda garoto, como o próprio garante. O pai já preparava o petisco e, por volta dos 16 anos, começou a ajudar na confecção. Hoje em dia, quase a chegar aos 70 anos, continua a fazê-los, se bem que a técnica já foi apurada e não os faz exactamente como aprendeu. “Dantes demorava mais tempo porque a carne era colocada na panela e ficava ali a fazer a banha”, explica. Agora, “ponho a banha dentro da panela, acendo o lume, coloco a carne e o sal e aquilo começa logo a ferver”. António diz que não há segredo nenhum. Numa panela coloca cinco litros de banha e deixa começar a ferver. Depois junta 20 quilos de carne e sal, e vai mexendo tudo. Para as Tasquinhas da Ilha prepara sete panelas (duas em cada dia, com excepção de sexta-feira em que geralmente só prepara uma), o que equivale a 140 quilos de carne. Para a edição deste ano, o Rancho conta com duas porcas criadas também na Ilha. Uma é comprada e a outra foi oferecida pelo produtor.
Como foi a tasquinha do Rancho que começou a confeccionar os torresmos desde as primeiras edições do evento, existe um acordo para que seja esta colectividade a ter o exclusivo da iguaria. Não quer isto dizer que as outras não o possam vender, mas têm de comprar os torresmos ao Rancho. Estranho será se não esgotarem diariamente, aconselhando-se a que não deixe para a última da hora a sua compra. António Melro confidencia que, no ano passado, houve quem quisesse levar cinco quilos. “Disse-lhe que não podia vender tanto porque ia ficar quase sem nada para as outras pessoas”, lembra, mas acrescenta que o homem foi esperto e pediu a outros familiares que fossem comprar aos poucos e conseguiu juntar o que queria. Mas não pense que pelos torresmos se fica a tasquinha do Rancho da Ilha. Ainda no passado fim-de-semana, por exemplo, estiveram a preparar 36 galos para serem cozinhados durante o evento.

 

Quatro dias para ver e degustar o que a Ilha tem de melhor

As Tasquinhas da Ilha estão de volta na sua 26ª edição. A Feira de Actividades, Mostra e Gastronomia, um dos eventos mais acarinhados na zona oeste do concelho, tem lugar entre os dias 31 de Agosto e 3 de Setembro e há coisas que não podem mudar.
É o caso de Augusto Canário e Amigos que, ano após ano, marcam presença no primeiro dia do certame, para animar o recinto com as suas músicas e canções ao desafio. Aliás, é por causa do artista que o evento passou a começar à quinta-feira. Mas a animação do primeiro dia das Tasquinhas da Ilha não se fica por aí. A Banda Filarmónica Ilhense, que no próximo ano celebra um século de vida, e o grupo de música popular Semibreves, actuam ao início da noite. Já depois do Canário, a música fica a cargo dos dj’s Vito Pereira e Phill. Na sexta-feira, dia 1 de Setembro, as tasquinhas voltam a servir o melhor da gastronomia regional a partir das 20 horas. As No Name Girls e Fernando Correia Marques abrilhantam a noite no palco principal, antes das actuações dos dj’s Nuno Fernandez e Phill. Já no sábado, as tasquinhas abrem para o almoço, a partir do meio-dia. Às 18 horas acontece mais uma caminhada, de inscrição gratuita, numa extensão de 7 kms. Uma hora depois pode assistir à actuação dos Cabeçudos e, já de noite, ao espectáculo da banda Top Som. Caberá aos dj’s André L e Phill encerrarem mais um dia de festa. Finalmente, no dia 3, a diversão começa mais cedo. Pela manhã, decorre o Passeio de Vespas com partida na sede do Clube de Vespas “Os Bandeirinhas”, na Água Formosa. Da parte da tarde tem lugar a 4ª edição da Feir’Ilha com animação pelos Gaiteiros de Abiul. Às 15h30 inicia-se a XXXVI Gala Nacional de Folclore que, além da participação do Rancho Etno-Popular da Ilha, contará com a presença dos ranchos de Pindelo (Silgueiros), dos Campinos d’Azinhaga (Golegã) e de São Guilherme (Santa Catarina da Serra). Antes do certame terminar, pode ainda dançar ao som dos Notas Soltas, Graciano Ricardo e do dj Humilde.