Leiria é um dos distritos sem cuidados paliativos

0
1511

A 11 de Outubro assinalou-se o Dia Mundial de Cuidados Paliativos. Apesar de estes cuidados serem notados como de uma importância cada vez maior, no distrito de Leiria ainda não há respostas a este nível.

A Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos revelou recentemente um estudo onde dá conta que metade dos doentes referenciados morre sem acesso aos cuidados paliativos e que há três distritos e um arquipélago onde não existe este tipo de resposta: Leiria, Santarém, Aveiro e Açores. Além das dificuldades geográficas de acesso, outros factores identificados foram a “quase total inexistência de equipas comunitárias de cuidados paliativos hospitalares e domiciliários” e a referenciação tardia e inadequada.
Se falarmos em cuidados paliativos pediátricos, a situação é ainda mais alarmante, sendo que Portugal está na cauda da Europa ocidental.
Os cuidados paliativos apresentam-se como uma resposta que tem como objectivo garantir melhor qualidade de vida, menor sofrimento e um fim de vida com dignidade a pessoas com doenças incuráveis, progressivas e com sofrimento intenso. Em situações de cancro, sida, doenças neurológicas degenerativas, é muito comum verificar-se a necessidade deste tipo de cuidados que, contudo, são determinados pelo estado do doente e não pelo diagnóstico.