“Tiro nos pés” vale 12 anos de prisão

0
746

Foram hoje condenados, com penas de prisão entre os 12 e os 20 anos, quatro dos arguidos no âmbito do processo relativo ao assalto de um banco em Alvaiázere, num caso que remonta a 30 de Outubro de 2012.

Deu-se como provado que, à data dos factos, Isabel Ramos teve participação activa num plano que visara o assalto à agência bancária onde era caixa há cerca de 11 anos, resultando num montante retirado que ascendeu a perto de 180 mil euros e quatro pessoas feridas. Para despistar uma eventual suspeita de envolvimento, os assaltantes atingiram a ex-funcionária bancária nos membros inferiores. Todo o plano terá sido montado em conjunto com a filha, Célia Pires, Fernando Jorge (que já havia cumprido 18 anos de prisão) e Carlos Santos.

O mesmo grupo foi condenado por um roubo, com sequestro, que aconteceu a 11 de Fevereiro de 2012, no interior de uma residência em Alvaiázere. Foram furtados objectos no valor de 52 mil euros e 400 euros em dinheiro, e levado um automóvel, que posteriormente foi encontrado totalmente carbonizado.

Em cúmulo jurídico, foram determinadas as penas de prisão efectiva, de 12 anos para Isabel Ramos e Célia Pires, 19 anos para Fernando Jorge, e 20 anos para Carlos Santos.

As penas aplicadas respeitam a um crime de roubo agravado, três de roubo, dois crimes de incêndio, três de ofensa à integridade física qualificada e um de furto qualificado. Os assaltantes, Fernando Jorge e Carlos Santos, foram ainda condenados por tráfico de estupefacientes e detenção de arma proibida.

Não foram provados os crimes de associação criminosa, de que também eram acusados e, neste processo, verificou-se a absolvição de três dos arguidos: Sérgio Cristóvão (companheiro de Célia Pires), Jorge Cristóvão e José Santos.