Juventude popular quer soluções para fixar população

0
1073

Os problemas relacionados com a habitação foram uma das preocupações manifestadas pela Juventude Popular (JP) de Pombal ao executivo municipal, na sequência da “análise dos documentos partilhados no último Conselho Municipal da Juventude”, onde o Plano Anual de Actividades e o Orçamento Municipal fizeram parte da ordem de trabalhos.

Numa nota enviada à imprensa, a estrutura presidida por Francisco Constantino sublinha a importância da habitação “para a fixação de população e especialmente para os jovens”.
“Estão previstas verbas para aplicação na estratégia local de habitação
para serem investidas na aquisição de fracções ou prédios degradados e
respectiva reabilitação, mas a rubrica para aquisição de terrenos e
construção em regime de custos controlados não tem fundos previstos”, adverte a estrutura política.

A JP de Pombal reconhece, no entanto, o “esforço louvável” do município na reabilitação de edifícios na zona histórica e na fixação de alguns serviços, assim como no Programa de Arrendamento Jovem, mas diz que é preciso “existir um verdadeiro plano de requalificação” para aquela zona.

A Juventude Popular defende um plano de reabilitação para a zona histórica

Lamenta que o mercado de arrendamento em Pombal seja “praticamente inexistente”, o que pode colocar em “risco” o sucesso do programa por “falta de casas ou fracções elegíveis”.
A JP aplaude ainda o recente anúncio de criação de mais duas creches no concelho, mas diz que é preciso saber onde serão criadas, em que tipo de edifícios, nomeadamente se está prevista a utilização de alguma escola primária antiga, e quando entrarão em funcionamento.