Tabernas festejam tradições e mostram o melhor da Mata Mourisca

0
856

Após dois anos de jejum de eventos, as Tabernas da Mata Mourisca estão de volta e as expectativas são bastante altas. Animação, gastronomia e exposição pecuária são alguns dos atractivos do certame que se realiza no primeiro fim-de-semana de Julho.

As Tabernas da Mata Mourisca estão de regresso. Entre 1 e 3 de Julho, as associações locais voltam a juntar-se para festejar as tradições da região e mostrar o melhor do território. E motivos para uma visita não vão faltar. Afinal, durante três dias há muita animação, gastronomia, artesanato, festa dos manjericos, exposição pecuária e quermesse animal.
A ideia é “juntar todas as associações locais para mostrar o melhor que se faz na nossa terra”, contou José Cavaleiro, que faz parte da organização, salientando que nestes três dias a Mata Mourisca “mostra um pouco de tudo o que cá existe”, nomeadamente em termos de “indústria, comércio, cultura, artesanato e gastronomia”.
Por outro lado, as Tabernas pretendem “promover e ajudar as associações locais”, tanto que “foram criadas exactamente com o objectivo principal de ajudar as colectividades a angariar algumas verbas para irem mantendo as suas actividades ao longo do ano”.
Desta forma, a organização das Tabernas da Mata Mourisca está a cargo da Associação Verão Verdadeiro, que é constituída por elementos de todas as colectividades locais, nomeadamente o Rancho Folclórico, a União Desportiva Recreativa e Cultural Mata Mourisquense, o Conselho de Moradores de Mourisca de Baixo, o Centro Social e Paroquial, o Grupo de Jovens e a Associação de Caçadores.
E todas elas têm “um envolvimento directo no evento”, tanto na organização como na parte gastronómica, que inclui as tasquinhas com pratos regionais servidos por três associações e as tabernas com bebidas e petiscos servidos pelas outras três associações.

ANIMAÇÃO E EXPOSIÇÃO PECUÁRIA SÃO ATRACTIVOS

Este ano, o certame realiza-se “nos mesmos moldes das edições anteriores”: marchas populares, folclore, arruadas, concertos e dj’s. Aliás, em termos de animação, as Tabernas da Mata Mourisca 2022 são “uma réplica do que já tínhamos programado para 2020”. Nomes como Diapasão, Tuna Trovantina, Camisas Negras, David Antunes e a banda Big Jovem prometem aquecer ainda mais os dias e as noites quentes de Verão na Mata Mourisca.
Além da animação, merece especial destaque “a exposição agro-pecuária e a quermesse de animais, que também funciona como exposição”, evidenciou José Cavaleiro, sublinhando que tanto uma como a outra “nos caracterizam e, se calhar, são únicas no concelho e no distrito”. Talvez por isso são “atractivos ao evento” e “o delírio sobretudo dos mais novos”.
A mostra do melhor que se faz na Mata Mourisca abrange ainda uma exposição de actividades económicas com a presença de cerca de 15 expositores e de peças de artesanato “feitas essencialmente por pessoas da freguesia com os mais variados materiais”.

APRESENTAÇÃO DO “CALÃO DA MATA MOURISCA”

E novidades? “Vamos ter algo muito especial que é a apresentação do Calão da Mourisca”, revelou José Cavaleiro, explicando que “no passado, e ainda agora, a Mata Mourisca é conhecida como sendo uma terra de comerciantes e negociantes”, os quais “utilizavam uma linguagem muito própria”. Ora, “a Junta de Freguesia tem vindo a fazer um trabalho com a participação de pessoas locais com mais experiência”, que passa por fazer o levantamento de expressões utilizadas. O resultado desse trabalho será apresentado publicamente, “interagindo com as pessoas”, na noite de sábado, logo a seguir ao festival de folclore.
Enfim, estão reunidos todos os ‘ingredientes’ para uma grande festa. E “as expectativas são bastantes altas”, confidenciou aquele dirigente, argumentando que “embora ainda haja o receio da situação pandémica, há uma grande vontade das pessoas para saírem à rua e conviverem”.
De salientar que as Tabernas da Mata Mourisca 2022 representam um “investimento que ronda os 33 mil euros”, o qual é apoiado em “cerca de um terço pela Câmara Municipal e a Junta de Freguesia”.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição impressa de 23 de Junho