RENDALÍSSIMA | chamamos a Primavera?

0
1624

Não sou um Nostradamus mas podia apostar que a previsão de dias mais quentes está correcta. Estamos fartos do frio, de céu cinzento e de roupas pesadas. Queremos trazer as cores primaveris para as nossas vidas e para os nossos armários – padrões florais, tons pastel e materiais leves. Como acontece em cada estação, há detalhes que podemos introduzir nos nossos coordenados para criar interesse e neste caso em particular, chamar a Primavera!

 

 

cestinhas | Uma boa forma de trazer uma aura primaveril é através dos materiais que seleccionamos. O vime, a palhinha ou a verga remetem para as cestas de pique-nique ou para as seirinhas que levamos para a praia. Peças como as da imagem podem complementar outfits mais formais, dando-lhes alguma graça e desconstruindo a seriedade que os caracteriza. As carteiras em palhinha com adornos em pele são ideais para o dia-a-dia e ficam bem com blazer e vestido ou até com um fato.

 

 

mules | Querem-se com um pouco de salto e criam um look effortless chic de uma forma criativa e despretensiosa. São ideais para ser o objecto extravagante do coordenado se enriquecidas com aplicações, bordados ou pedraria. Dica: se tiver pernas grossas, opte por modelos bem decotados, que revelem bastante pele no peito do pé, de modo a criar a ilusão de alongamento da silhueta.

 

 

culottes | Também conhecidas por cropped pants, usam-se largas, lisas ou estampadas, mas bem ajustadas na cintura para a definir e não criar proporções que desfavoreçam quem as veste. Conjugue com peças mais justas na parte superior do corpo para equilibrar a figura.

 

 

belt bags | Queremos descontracção e leveza, andar de mãos livres e mesmo assim, com todo o estilo. É por esse motivo que as fanny packs se renovaram e voltaram com um aspecto mais cuidado e sofisticado.

 

 

chunky sneakers | Ténis volumosos, grosseiros e muito confortáveis. Para aligeirar a estética pesada destes modelos, aposte em tons pastel e assegure-se de que os concilia com peças de corte bem estruturado, como blazers ou biker jackets, por exemplo.

Partilhar
Artigo anteriorSketch (re)une artistas e promove cultura
Próximo artigoFava serve-se à mesa de festival nos 32 anos da freguesia
Depois de se dedicar ao Jornalismo, decidiu aprofundar os seus conhecimentos numa vertente menos explorada ao longo da sua formação académica, a comunicação não-verbal. Após uma especialização em Lisboa em Consultoria de Imagem, lançou-se a título pessoal na área da Moda e assume-se em 2018 como a primeira Fashion Therapist do país. Já foi contratada pelo grupo Sonae para realizar serviços de Personal Shopping aos seus clientes, marca presença na Vogue Fashion's Night Out, trabalhou no grupo Creative Concept como responsável pela gestão dos cursos leccionados e pelo departamento de Comunicação da Creative Academy e exerce funções enquanto Social Media Manager de eventos de Moda. Trabalha de perto com grandes marcas de luxo internacionais sediadas na Avenida da Liberdade e com designers portugueses vocacionados para noivas. Em Pombal tem uma parceria com a Quinta da Concha porque apesar de se mover na capital, tem especial gosto pelo trabalho com clientes da zona centro. Contactos: anarendalltomaz@gmail.com || https://www.anarendalltomaz.com/