Programa de João Paulo Vaz junta música, entrevistas e solidariedade

0
579

Chama-se “Estórias de um Sim” e é o mais recente projecto de João Paulo Vaz, padre da paróquia de Pombal, conhecido também pela sua ligação à música, enquanto autor e compositor. Uma veia artística cujo reconhecimento atingiu, este ano, um mediatismo maior, depois de a letra que escreveu para o hino da Jornada Mundial da Juventude 2023 ter sido a escolhida.
Em “Estórias de um Sim”, João Paulo Vaz faz das redes sociais o palco privilegiado de um programa mensal, transmitido em directo, que junta entrevistas, apontamentos musicais (do pároco e do convidado) e solidariedade. Para isso, o sacerdote conta com a presença de um convidado em cada episódio, ligado ao “mundo da música” ou à evangelização pela música, a quem desafia para que conte o que significa “dizer sim com a música, mas também com as suas próprias vidas”.
E tal como num palco tradicional, também aqui João Paulo Vaz vai poder interagir com quem está do outro lado do ecrã, disponibilizando um número de telefone para quem queira juntar-se à conversa, ao longo do programa. “Seja para pedir uma música, partilhar aquilo que são os ecos da entrevista com o convidado, a pessoa pode reagir, fazer uma pergunta. Quisemos que fosse um programa interactivo”, explicou o sacerdote à Agência Eclesia.
Por outro lado, o programa tem um fim solidário e, em cada episódio, vai ajudar uma causa ou uma instituição, para onde vão “todos os donativos” angariados ao longo da emissão online e durante o mês seguinte, até ao próximo episódio.
A estreia de “Estórias de um Sim” teve lugar no dia 18 de Maio e, desde então, já foram para o ar mais dois programas: um a 15 de Junho e outro a 13 de Julho, e que teve como convidado o bispo Dom Virgílio Antunes. Em Agosto, a equipa, formada por 10 elementos, faz um interregno, mas o programa já tem data agendada para o regresso, a 14 de Setembro, revelou João Paulo Vaz ao nosso jornal.

Padre João Paulo Vaz (à dir.) com o convidado do segundo episódio

Em declarações à Agência Eclesia, o pároco explicou que a iniciativa surgiu “da necessidade de continuar a “evangelizar pela música”, um projecto que assumiu, particularmente, desde que editou o primeiro CD, em 2003. “Nestes últimos anos, e propriamente este ano que passou, vendo a dificuldade não só pela pandemia, mas que já existia antes, de fazer chegar a minha música o máximo que pudesse a todos, surge esta possibilidade de criar um programa online, em directo, onde posso continuar e com as minhas músicas, as minhas composições, e assumindo-me como padre que canta, que compõe e que evangeliza pela música”, afirmou.

*Notícia publicada na edição impressa de 15 de Julho