Paulo Azevedo enfrenta o maior desafio como actor

0
455

O redinhense Paulo Azevedo está prestes a subir ao palco do Teatro-Cine de Pombal para enfrentar o que considera ser o maior desafio da sua carreira, até ao momento. Em “O Tamanho das Coisas”, aquele que foi o primeiro actor nacional com deficiências a integrar um elenco de ficção televisiva portuguesa vai estar sozinho em palco, com um monólogo inédito, escrito por Alex Cassal. O espectáculo tem estreia em Pombal, com apresentações na sexta e sábado, seguindo depois em digressão, já em 2024. É uma produção da Terra Amarela, com encenação de Marco Paiva.
“Já fiz novelas, cinema, outras peças de teatro e este é o maior desafio, sem dúvida, em todas as escalas”, garante Paulo Azevedo, que confessa ter “ficado um bocadinho assustado” quando foi desafiado. “Aceitei logo porque gosto muito de desafios, mas depois vi o tamanho do texto e assustei-me outra vez”, revela. Mas tudo foi ultrapassado porque “trabalhar com o Marco Paiva é muito tranquilo e procuramos sempre soluções e nunca problemas”.
O espectáculo gira em torno de um homem que parte sozinho num barco a remos em direcção aos Açores, porque a meio do caminho da vida adulta começa a questionar todas as escolhas afectivas, profissionais e existenciais e persegue um desafio diferente. Só que numa altura da viagem, acaba por perder um remo, que fica a flutuar a 15 metros da embarcação. A dúvida instala-se… Se for buscar o remo pode ver o barco afastar-se com as correntes, mas se não o for buscar, não conseguirá continuar a viagem. Para o actor, o espectáculo simboliza “uma existência posta em causa, a importância que dás aos desafios, as frustrações, passa ali tudo…”, resultando em “reviravoltas inesperadas” que tornam a peça “bastante divertida”. O texto foi escrito a pensar no actor que nasceu sem mãos e sem pernas, mas não na perspectiva da deficiência. “Podia ter sido feito para qualquer outro actor”, salienta Paulo Azevedo. A intenção é “as pessoas também perceberem que sim, que sou actor, e não é só aquela condição física que me caracteriza”.
Grande parte da preparação para “O Tamanho das Coisas” foi feita em Pombal, na Casa Varela – Centro de Experimentação Artística. Isto incluiu uma oficina de escrita criativa, durante a qual foi escrito o final da peça. Este processo vai repetir-se nos outros locais por onde o espectáculo vai passar, pelo que o final será diferente de local para local. Sobre a estreia em Pombal, Paulo Azevedo diz que “ter amigos na plateia ainda o deixa mais nervoso”, mas também garante que tem um sabor especial poder estrear na sua terra.