Obras nos Governos e Vinagres adiadas para 31 de Outubro

0
244

As obras de requalificação urbana em Governos e Vinagres tinham como prazo de conclusão o dia 28 de Julho, mas ainda não foi desta vez. Na última reunião de Câmara, o executivo aprovou, por maioria, prorrogar o prazo por mais 90 dias, sendo agora a nova data o dia 31 de Outubro. A empreitada, de mais de 1,8 milhões de euros, tinha um prazo de execução de 540 dias, mas a derrapagem já ultrapassa os 240 dias.

O novo pedido de prorrogação do prazo teve os votos contra dos vereadores Odete Alves (Partido Socialista) e Michael da Mota António (Narciso Mota – Pombal Humano). Dois autarcas que têm, por diversas vezes, tecido considerações à forma como as obras, a cargo da empresa Civibérica – Obras Civis, SA., têm decorrido.
O vereador independente recordou que, aquando do último adiamento do prazo, “disse que o 28 de Julho seria uma miragem”, frisando que o empreiteiro “não respeita quase nenhuma regra, essencialmente de segurança em obra”. “Tiro o chapéu pela ginástica que fazem para justificar o injustificável”, disse, referindo-se aos membros do executivo, maioria social-democrata.
Também Odete Alves lembrou que foi “alertando para o estado daquela obra, tanto em questões de segurança como na má execução dos trabalhos”. “O que veio infelizmente a confirmar-se”, realçou, considerando “não válidos” os argumentos da empresa para solicitar uma nova prorrogação de prazo.
Na comunicação enviada à autarquia, o empreiteiro alega que “surgiram trabalhos imprevistos que levaram à necessidade de proceder alterações”, bem como o facto de a zona de intervenção dispor de “muitas infra-estruturas existentes que ao interferir com as infra-estruturas a instalar obrigam a alterar os traçados de projecto”. Justifica, ainda, com a “existência de indefinições em obra”, a ocorrência de “situações em que houve necessidade de reformular trabalho já executados” e a realização de trabalhos no âmbito de outra empreitada “que impedem a execução dos trabalhos previstos, nesta obra, nomeadamente aplicação de camadas granulares, lancilagem, calçadas e pavimentos betuminosos.”
Os serviços técnicos municipais reconhecem o “surgimento de situações imprevistas” e apenas de detectar “com o desenvolvimento dos trabalhos”, bem como a outros aspectos que “obrigou-nos à reformulação de alguns acessos” às habitações, e a “algumas indefinições” quanto à localização de contentores subterrâneos para recolha de resíduos. Por outro lado, acrescentam que outras situações “só recentemente foram desbloqueadas”, designadamente na concretização de acordos com proprietários com vista a ligações de colectores de águas residuais domésticas e reconstrução de muro, para “melhorar a visibilidade bem como as condições de circulação naquela zona.”
Na opinião de Pedro Murtinho, vice-presidente da Câmara Municipal, “nos últimos meses os trabalhos têm-se desenvolvido a um bom ritmo, mas insuficiente para os concluir dentro do prazo aprovado.”
“Reconhecendo o bom andamento dos trabalhos, reconhecendo como justificados os motivos apresentados, tendo por base os argumentos que me em sido apresentados pela administração da empresa e tendo em conta que os trabalhos em falta já são de pouca expressão, sou de dar parecer favorável à prorrogação aqui apresentada”, refere o vereador que tutela os pelouros de urbanismo, ordenamento do território, e gestão das obras públicas.

*Notícia publicada na edição impressa de 15 de Agosto

Partilhar
Artigo anteriorClube de Ténis promove projecto para crianças desfavorecidas
Próximo artigoPopulação do Carriço denuncia alegado crime ambiental
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.