Espectáculos trazem diversidade cultural à Praça

0
832

Até 5 de Setembro, há música e arte do mediterrâneo e do mundo lusófono na Praça Marquês de Pombal, o palco dos principais espectáculos que decorrem, este Verão, na cidade. O Festival Sete Sóis Sete Luas arrancou no dia 3 deste mês e traz, à semelhança de outros anos, uma programação ecléctica, com expressões artísticas de vários países. A entrada é gratuita, mas limitada aos lugares disponíveis, o que implica reserva de bilhetes, os quais podem ser levantados no Teatro-Cine de Pombal.
O evento cultural internacional arrancou esta segunda-feira, dia 3, com “Street Art” de Waroox, um dos “street artists” mais importantes da ilha da La Réunion, cuja residência artística termina este sábado, dia 8. Uma oportunidade para conhecer o trabalho do autor que, ao longo daqueles dias, poderá ser visitado no Bairro Social S. João de Deus, onde realizará uma obra de street art.
Esta sexta, dia 7, às 22h00, decorrerá um concerto com o grupo Zagala (Espanha), cuja música é caracterizada pela sua energia, pela fusão de diferentes instrumentos tradicionais de várias épocas e regiões de Espanha. No dia seguinte, à mesma hora, haverá música da Arménia, representada pelo grupo “Collectif Medz Bazar”, uma banda urbana composta por músicos oriundos das culturas arménia, turca e francesa. Com uma música multidimensional e a energia explosiva que dela emana, a banda tece um elogio ao amor, à justiça e à igualdade, abordando igualmente questões sociais e desafiando as fronteiras políticas e culturais.

O grupo espanhol Zagala actua esta sexta-feira, às 22h00

O evento regressa a 22 de Agosto, também às 22h00, com Ceuzany & Orquestra Popular Sete Sóis do Fogo (Cabo Verde). Trata-se de uma produção original do festival com a participação da cantora cabo-verdiana Ceuzany, conhecida pelo seu talento e pela sua voz potente, sensual e incomparável, e dos músicos da Orquestra Popular Sete Sóis Sete Luas da ilha do Fogo. No dia 28, o Festival apresenta um espectáculo de teatro com “Leo Bassi”, de Espanha. Reconhecido mundialmente pelas extravagantes actuações de teatro e pelas suas acções de tom provocador, Leo Bassi pertence a uma antiga família de actores excêntricos e de palhaços circenses oriundos de Itália, França e Inglaterra. No dia seguinte, 29, uma nova produção original do Festival Sete Sóis Sete Luas invadirá a Praça Marquês de Pombal. A 7Luas Med Orkestra surge do trabalho conjunto de seis músicos conceituados provenientes das diferentes margens do Mare Nostrum, do mudo lusófono e creolófono. O grupo tem direcção musical do português Custódio Castelo e integra ainda os músicos Bernard Joron (La Réunion), Alide Sans (Catalunha), Moisés Santos (Cabo Verde), Tiago Soares (Portugal) e Mario Rivera (Sicília).
O Festival encerra a 5 de Setembro, com um espectáculo de circo com Mumusic (Catalunha, Espanha), que apresentará, em estreia nacional, “Flou Papagayo”, uma performance de alto impacto emocional.
O Festival Sete Sóis Sete Luas, que realiza este ano a sua 28ª edição, é promovido por uma rede cultural de 30 cidades de 11 países do Mediterrâneo e do mundo lusófono: Brasil, Cabo Verde, Croácia, Eslovénia, Espanha, França, Itália, Marrocos, Portugal, Tunísia e Turquia. Desenvolve a sua programação no âmbito da música popular contemporânea e das artes plásticas, com a participação de figuras da cultura mediterrânea e do mundo lusófono. O diálogo intercultural, a mobilidade dos artistas dos países que fazem parte da rede, a criação de formas originais de produção artística com a participação dos criadores vindos dos países da rede são os objectivos do festival.