Promover estilos de vida saudável e descobrir a cultura e a história do concelho a caminhar são alguns dos objectivos do ciclo de caminhadas que a Câmara Municipal de Pombal vai promover em parceria com a empresa de animação turística Culnatur. A iniciativa inicia-se no próximo dia 19, às 09h00, na Ilha.
A escolha recaiu num território do concelho que ganhou fama pelo bracejo. “É com o bracejo que são feitas várias peças artesanais, com a Cooperativa dos Cestinhos da Ilha, onde trabalham várias mulheres que mantêm viva a tradição de fabrico de objectos em fibra vegetal entrelaçada, mais conhecida como cestaria, apesar de fazerem mais do que simples cestos”, refere a Culnatur.
De acordo com a empresa, naquele dia serão ouvidos “alguns testemunhos de quem trabalha este material desde pequeno e ainda ajudar um pouco na apanha desta planta”.
A caminhada, com um percurso de 6,5 quilómetros, terminará com um lanche convívio constituído por produtos locais.
Os passeios pedestres prosseguirão a 30 de Junho com a “Rota dos Moinhos das Corujeiras”, na freguesia de Abiul e no dia 21 de Julho com um percurso cultural na freguesia do Louriçal. A 22 de Setembro será a vez de ser percorrida a paisagem da Serra do Sicó, na Redinha, com foco no Poio Velho e Poio Novo. O ciclo de caminhadas terminará a 20 de Outubro com uma visita ao “Topo da Serra”.
A Câmara de Pombal considera este tipo de actividades “como uma forma de turismo mais sustentável, mais enriquecedora e com um grau de aproximação das pessoas que visitam e às gentes que habitam esses mesmos locais”.
Cada percurso encontra-se limitado a 30 inscrições e inclui acompanhamento de guia com o respectivo enquadramento cultural, o reforço alimentar (fruta) e o seguro de acidentes pessoais e responsabilidade civil. Para o efeito, cada participante terá de pagar um valor de inscrição de cinco euros, com excepção para a primeira caminhada “Bracejo da Ilha” cuja inscrição será de 7,5 euros, já que “para além da caminhada, integra uma actividade experiencial de apanha do bracejo rematada com a oferta de um lanche regional”, refere a autarquia.

Partilhar
Artigo anteriorTrês suspeitos de tráfico de droga detidos em Pombal
Próximo artigoMúsica e dança ao vivo “animam” montras e varandas
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.