Centro Social de Vila Cã vai ampliar creche e melhorar eficiência energética

0
458

A creche vai passar a ter mais 32 vagas para crianças. Já a colocação de painéis solares e de uma bomba de calor vai permitir reduzir os custos energéticos de todo o edifício, que neste momento são “absurdos”.

A creche do Centro Social de Vila Cã vai aumentar a sua capacidade de 35 para 67 crianças

O Centro Social de Vila Cã vai investir cerca de 150 mil euros para ampliar a creche, aumentando a sua capacidade para 67 crianças, e melhorar a eficiência energética de todo o edifício para “tentar reduzir os custos energéticos absurdos”, revelou ao Pombal Jornal o presidente da direcção daquela instituição.
O alargamento da creche, que actualmente funciona com “35 crianças e lista de espera”, vai permitir receber mais 32 miúdos, “aumentando a capacidade para 67 crianças”, contou João Antunes dos Santos, adiantando que, nos primeiros dias de 2023, o Centro Social submeteu candidatura ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para financiar esta obra.
O projecto, cuja arquitectura foi aprovada na última reunião da Câmara Municipal, realizada a 3 de Janeiro, consiste em “converter as salas, que até agora funcionavam como ATL, em creche”. Para isso, estão previstas executar “pequenas obras de adaptação das salas, das casas de banho e das instalações”, que vão custar “cerca de 60 mil euros”.
O ATL foi transferido para as instalações do antigo jardim-de-infância, sendo assegurado pela Junta de Freguesia. O Centro Social de Vila Cã “suspendeu a licença de ATL junto da Segurança Social”, porque “chegámos à conclusão que o ATL e o prolongamento de horário davam um prejuízo de cerca de 20 mil euros por ano”.

CUSTOS ENERGÉTICOS SÃO “ABSURDOS”
Paralelamente, o Centro Social de Vila Cã pretende “melhorar a eficiência energética” com a “colocação de painéis solares e uma bomba de calor”, cujo investimento ronda os 90 mil euros.
Esta intervenção tem como objectivo “tentar reduzir os custos energéticos”, explicou João Antunes dos Santos, dando conta dos “custos absurdos, nomeadamente de gás”. “Neste momento, estamos a gastar cerca de 3.500 euros por mês em gás para o edifício todo”, frisou.
“Ainda não sabemos se a candidatura ao PRR vai ser aprovada”, mas se for, “o financiamento da obra pode ir até aos 100%”, adiantou aquele dirigente, garantindo que “a nossa intenção é mesmo avançar com o procedimento concursal e com as obras”.
De referir que, além da creche com 35 crianças, o Centro Social de Vila Cã tem também a valência de lar com 24 idosos, centro de dia com capacidade para 10 utentes e serviço de apoio domiciliário para 60 seniores, mas a funcionar com 40 pessoas.
O quadro de pessoal é constituído por 38 funcionários, número este que está previsto aumentar quando estiverem ocupadas as 32 vagas da ampliação da creche. A expectativa é que seja necessário “contratar mais sete pessoas”.
O dirigente falou também das dificuldades, evidenciando que “estamos a sentir bastante o aumento de todas as matérias-primas, nomeadamente dos produtos alimentares e os custos energéticos, onde se inclui o combustível para as carrinhas e o gás, que é realmente o que pesa mais no orçamento”.
E, em 2023, o orçamento é de 900 mil euros, valor que é “apenas para funcionamento da actual estrutura”. De fora ficam os investimentos na creche e na eficiência energética, porque “à data da aprovação do orçamento em Assembleia-geral ainda não tínhamos o projecto de arquitectura aprovado, nem a candidatura submetida”.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição impressa de 12 de Janeiro