PSD de Pombal quer ganhar todos os órgãos autárquicos

0
487

A cerca de um ano das eleições autárquicas de 2021, a concelhia de Pombal do Partido Social Democrata (PSD) anunciou que irá trabalhar no sentido de “manter a presidência da Câmara Municipal e conseguir o maior número de vereadores” naquele órgão. Na conferência de imprensa realizada no dia 25 deste mês, na sede do partido, o presidente da concelhia apresentou publicamente a orientação estratégica para o sufrágio do próximo ano.

Catarina Silva, Pedro Pimpão e Fernando Matias

Para além da liderança da Câmara, Pedro Pimpão quer “garantir a presidência da Assembleia Municipal e alcançar o maior número de mandatos”, assim como “ganhar todas as Juntas de Freguesia” e assegurar, também aqui, “o maior número de mandatos nas Assembleias de Freguesia ”. O presidente da concelhia assume tratar-se de “um objectivo ambicioso, que o PSD já percorre há vários mandatos”, mas garante que “é para isso que vamos trabalhar com os nossos autarcas”, no sentido de “renovar os projectos, consolidar os existentes e onde o PSD não ganhou, procurarmos as melhores soluções para recuperarmos essas freguesias”. Recorde-se que o PSD lidera os executivos em 10 das 13 freguesias do concelho, depois de em 2017 ter perdido a da Redinha para o Partido Socialista (PS) e a União de Freguesias Da Guia, Ilha e Mata Mourisca para o Movimento Independente Narciso Mota Pombal Humano (NMPH). Também em Vila Cã, o PSD não tem conseguido contrariar o movimento independente liderado por Ana Tenente, a cumprir o segundo mandato.
“Os nossos objectivos, ainda antes de falar em pessoas, é falar em estratégia, que seja mobilizadora, motivadora, inovadora, para conseguirmos conquistar e garantir aquilo que é a simpatia que as pessoas nutrem pelos nossos projectos”, sublinha Pedro Pimpão.
O dirigente da concelhia e actual presidente da Junta de Freguesia de Pombal acredita que será possível alcançar os três objectivos, baseando-se, para isso, no “trabalho que temos feito de proximidade” e que passa por “envolver as pessoas que são do PSD”, mas também aqueles que “têm alguma afinidade” com o partido e até mesmo os que, mesmo “não sendo militantes nem simpatizantes, estão disponíveis para nos ajudar a concretizar este objectivo”.
“O PSD é um partido suficientemente aberto e amplo para acolher o contributo de todos aqueles que queiram contribuir para o desenvolvimento da sua terra”, acrescentando que “a receptividade a esta estratégia, em termos territoriais, tem sido positiva”, havendo já “algum retorno de pessoas que estão empenhadas em colaborar connosco”.
Por outro lado, Pedro Pimpão quer que em 2021 “haja um esforço de renovação”, apostando em novos quadros que contribuam para valorizar a abertura do PSD e que demonstrem capacidade de regeneração.
Neste âmbito, o dirigente destaca ainda a aposta no reforço da participação das mulheres nos órgãos autárquicos, bem como o aumento de “mulheres em lugares elegíveis”. Um objectivo que pretende ir não apenas ao encontro do definido na Lei da Paridade, mas que, segundo Pedro Pimpão, pretende, “se possível, aumentar a participação das mulheres na actividade política”.
Para auxiliar os órgãos da secção de Pombal na preparação das eleições autárquicas, a Comissão Política de Secção irá nomear uma Comissão de Coordenação Autárquica, coordenada por Humberto Lopes, actual presidente da Junta de Freguesia de Almagreira, “um jovem com muito potencial e valor, e um dos melhores quadros do PSD no concelho”, enalteceu Pedro Pimpão.
Das orientações estratégicas apresentadas para as autárquicas, o dirigente partidário evidenciou, de igual modo, a realização de sessões de formação dos candidatos, destinadas à preparação técnica e política dos candidatos do PSD aos diversos órgãos autárquicos. “Quanto mais competências tiverem os nossos autarcas, mais terá um efeito positivo no desempenho dos nossos autarcas”. Uma medida que, segundo Pedro Pimpão, irá avançar ainda antes do escrutínio de Outubro, se bem que o objectivo seja reforçar essa formação já depois de os candidatos serem eleitos.
Para o líder da concelhia, “ao longo dos últimos 30 anos” o PSD “tem tido um trabalho muito importante no desenvolvimento” concelhio, o que traz, na perspectiva do dirigente, responsabilidade acrescida. “Depois da agitação que assolou a gestão autárquica nos últimos anos, está na hora de unir esforços para continuarmos a ser um referencial de credibilidade e esperança para todos os pombalenses”.
Na preparação e implementação da estratégia para as eleições autárquicas, a concelhia social-democrata diz que foram igualmente tidos em conta factores como a articulação com as directrizes da nova política de fundos comunitários, as condicionantes relacionadas com a crise pandémica, os efeitos da descentralização de competências da administração central para as autarquias locais.
Pedro Pimpão lembra ainda que “os desafios das autarquias locais nos próximos anos serão cada vez maiores, assim como a responsabilidade dos eleitos. Hoje, o escrutínio a que está sujeito o eleito local numa freguesia ou numa câmara municipal ou numa assembleia municipal é muito maior do que era no passado”.

 


Questionado sobre o ultimato deixado a Pedro Brilhante, em Agosto passado, para “rectificar a sua acção política de acordo com os eleitos do PSD ou renunciar ao mandato de vereador da Câmara Municipal ou desfiliar-se do PSD”, Pedro Pimpão escudou-se nos comentários, afirmando tratar-se de uma questão interna e que não há novidades sobre essa matéria.

*Notícia publicada na edição impressa de 1 de Outubro