“Nasci praticamente na columbofilia”

0
3308
Foi com o pai que ganhou o gosto pela columbofilia, era ainda um jovem. Marco Paulo Rodrigues é sócio federativo há 20 anos e o melhor do Grupo Columbófilo de Pombal na classificação geral há seis anos.
O ano em que tudo começou terá sido em 1987, tinha Marco Paulo Rodrigues nove anos, despertando o interesse por aqueles pombos aos quais o pai dava tanta atenção. “Eu nasci praticamente na columbofilia, recordo-me perfeitamente”, afirma, destacando nas suas recordações um “craque” que o pai teve, um pombo Belga de 1991, do qual ainda hoje tem descendência. Nos anos 90, andou por várias terras com o pai em busca de bons pombos, sendo que em 1996 inscreveu-se como sócio federativo.
Actualmente, tem duas centenas de pombos, o que “requer muito trabalho e muita dedicação, sendo que praticamente todo o tempo livre que eu tenho, é dedicado aqui”, afirma o columbófilo, que vive no Paço (Almagreira), mas mantém o seu Pombal nos Carvalhais, onde residem os pais. Não há segredo para os bons resultados, é fundamental ter uma boa selecção de Pombos (os seus são quase todos estrangeiros), ter todos os cuidados com eles no dia-a-dia e começar os treinos em Janeiro. Entre Agosto e Dezembro é a altura em que fazem a Muda da Pena, sendo que “há quem diga que esta acaba por ser a fase mais importante”, revela.
No seu caso, é nesta altura que procura reduzir o “vício” que ao longo de todo o ano lhe rouba algum do tempo com a mulher e a filha, às quais faz questão de agradecer a compreensão, tal como ao pai, que “ainda me ajuda bastante nisto”. Em Janeiro e Fevereiro realizam-se os treinos, e em Março mais uma campanha de competição.
Marco Paulo Rodrigues gostava que esta fosse uma actividade mais divulgada e que os jovens se interessassem por ela, lançando mesmo um desafio. “Se pretenderem deslocar-se às instalações do Grupo Columbófilo de Pombal durante a época desportiva para perceberem como é que funcionar, serão bem recebidos”, afirma, mostrando-se disponível para ajudar os jovens a iniciar a actividade columbófila.
Época de bons resultados e participação em dérbies
Marco Paulo Rodrigues ganhou em 1998, em Pombal, o primeiro campeonato de velocidade, e dois anos depois fez o seu primeiro lugar a nível distrital em prova da Associação Columbófila de Leiria. Nestes 20 anos de columbofilia federada, obteve outros bons resultados, mas este ano de 2016 foi, sem dúvidas, marcante. Conta-se já o sexto ano seguido em que Marco Paulo Rodrigues obtém o primeiro lugar na classificação geral do Grupo Columbófilo de Pombal, sendo que este ano também foi o melhor nas categorias de Meio Fundo e Velocidade, recebeu o troféu Câmara Municipal de Pombal e a Taça da Colectividade, e teve o melhor pombo da colectividade.
Conseguiu três segundos lugares em provas distritais, e ainda teve oportunidade de participar nos derbies do Porto e de Mira, este último contando com participação de columbófilos de 36 países diferentes. Quando ao futuro, o columbófilo pretende continuar a alimentar este  seu “vício” e “tentar fazer igual ou melhor do que este ano”.
Ana de Jesus
Notícia publicada na edição de 29 de Setembro