Aluguer de contentores para núcleo do IPL vai custar 195 mil euros

0
409

A Câmara Municipal de Pombal vai investir 195 mil euros (acrescidos de IVA) para alugar os contentores onde funcionará, no prazo máximo de 22 meses, o núcleo de formação do Instituto Politécnico de Leiria (IPL). Estes contentores serão instalados no espaço da antiga feira, na Zona Industrial da Formiga.

Os contentores serão instalados na Zona Industrial da Formiga, no recinto da antiga feira semanal

O executivo camarário aprovou por maioria, na sua reunião de 16 de Julho, realizar um contrato público no valor de 195 mil euros (mais IVA) para alugar os contentores que servirão de instalações provisórias para o núcleo de formação do IPL. O contrato prevê um prazo de fornecimento de 12 meses, renovável por mais 10 meses até ao período máximo de 22 meses, ou seja, até Junho de 2023.
O vereador Narciso Mota não concorda com o aluguer dos contentores, por entender que este investimento é um “desperdício de dinheiro desnecessário”. O eleito classifica mesmo esta decisão de “gestão danosa”, tendo em conta que há “várias escolas do 1.º ciclo disponíveis” e com “melhores condições que os contentores”. Destas, Narciso Mota destacou a “escola das Meirinhas que tem seis salas de aulas e instalações sanitárias requalificadas”. “Nem que se desloquem os alunos para as Meirinhas, é melhor” e “custa muito menos”.
“Não se compara um contentor amovível à qualidade de seis salas de aulas disponíveis”, salientou o vereador, sublinhando que “é uma diferença como da noite para o dia”. Além disso, defende que “é uma vergonha para Pombal ter 10 contentores à beira da Estrada Nacional 1 (EN1) a servir de escola”, “dá uma imagem péssima do Município de Pombal”. Por isso, desafiou o presidente a apresentar aquela solução, quer aos vereadores, quer o presidente do IPL.
Em resposta, o presidente da autarquia recordou que “esta Câmara Municipal aprovou por unanimidade a entrega da escola das Meirinhas à Junta de Freguesia para proceder a uma requalificação daquele espaço”. Diogo Mateus advertiu também que “o município não tem por hábito desconsiderar os termos dos protocolos”, descartando esta sugestão, que nem sequer cumpre os requisitos impostos pelo IPL: estar localizado “no centro da cidade ou a menos de 10 minutos a pé do centro”.
Por sua vez, a vereadora Ana Cabral ficou “incrédula” com tal sugestão, considerando-a “uma não solução”. Afinal, “para além das seis salas de aula, são necessárias salas de informáticas, salas de estudo para os alunos, sala de professores…”.
O presidente da autarquia esclareceu ainda que “não estamos a propor instalações indignas, sujas, velhas e desqualificadas”. Bem pelo contrário. A localização junto à EN1 “vai ser muito mais vantajosa”, tendo em conta que os contentores serão instalados “num espaço municipal vedado, de acesso controlado, com a rede Pombus à porta, a menos de 10 minutos a pé do centro da cidade, servido com o bikesharing e com visibilidade pública”.

Carina Gonçalves | Jornalista