25 de Abril aberto à comunidade e sem discursos

0
1564

As comemorações do 41º aniversário 25 de Abril terão lugar entre os dias 24 e 26, numa organização conjunta da Câmara e da Assembleia Municipal de Pombal, esta última representada pelos líderes de bancada do PSD, PS, CDS e PCP.

Nas diversas iniciativas realizadas, nomeadamente em termos culturais e desportivos, são parceiros a Âncora Editora, o Atlético Clube Vermoilense, os Bombeiros Voluntários de Pombal, o Café Concerto, a Cinemateca Portuguesa, o Clube de Cicloturismo de Pombal, a Banda Filarmónica Ilhense, o Núcleo do Desporto Amador de Pombal e a PMU Gest.

Quanto aos momentos solenes, resumem-se ao hastear da bandeira em frente ao Edifício dos Paços do Concelho, pelas 11h, no dia 25 de Abril, seguido de uma evocação à memória de Salgueiro Maia, no Largo com o seu nome, junto à Estação da CP. Pelas 11h30, no Café Concerto, será apresentado o livro “Salgueiro Maia – Capitão de Abril”, contando com a presença de Natércia Salgueiro Maia, viúva do líder das forças revolucionárias.

“A opção de não termos o formato clássico da sessão solene foi discutida e decidida pelos participantes”, afirmou Diogo Mateus, optando-se por umas “cerimónias mais abertas à população, levando a outro tipo de participação e a outros públicos”.

Entretanto, a Concelhia de Pombal do PCP enviou uma carta ao Presidente da Câmara, onde dá conta que “discorda em absoluto da exclusão das intervenções dos partidos na sessão solene das comemorações do 25 de Abril no concelho de Pombal”. Para esta estrutura, em virtude das conquistas que marcaram o 25 de Abril de 1974, “pensamos ser de grande importância para a população de Pombal ouvir o que os partidos eleitos no nosso concelho têm a dizer nesta data”, acrescentando que “através de iniciativa própria, o PCP não deixará de o fazer junto da população”.

Jorge Neves – PCP (2)
O PCP não concorda com a ausência de discursos nas comemorações. Na foto, Jorge Neves, membro do PCP na Assembleia Municipal
Contudo, a concelhia do PCP esclarece que concorda que se realizem outro tipo de actividades, que não são factor de exclusão das intervenções políticas, e com a necessidade de uma maior visibilidade e abertura das comemorações, pelo que apresentou algumas propostas com o intuito de enriquecer e tornar mais participadas as comemorações do 25 de Abril: abrir as intervenções a associações, escolas e colectividades do concelho; mudar o local das intervenções para um espaço público no centro da cidade; alargar o programa de comemorações com teatro, desporto, música, exposições, folclore, dando prioridade aos artistas do concelho; vinda de um grupo de cantar alentejano em homenagem por ter sido recentemente considerado património da humanidade.

ANA DE JESUS