Voluntários entregam cabazes de Natal a doentes com cancro

0
1066

A Liga Portuguesa Contra o Cancro – Núcleo Regional do Centro (LPCC.NRC), através do Grupo de Voluntariado Comunitário (GVC) de Pombal, voltou a fazer a diferença na comunidade, muito em particular junto dos doentes que acompanha. Ainda que na Liga a solidariedade seja praticada o ano inteiro, no Natal as acções revestem-se de particular significado, atendendo ao simbolismo da época.
Não é novidade o lanche-convívio que o GVC organiza por esta altura, mas desta vez o programa foi mais além. Ao final da tarde do passado dia 6, no edifício da Junta de Freguesia, o grupo entregou sete cabazes de Natal a doentes concológicos previamente identificados e beneficiários do Programa de Apoio Social material da LPCC.NRC.

Os bens alimentares foram oferecidos pela Liga que contou, nesta iniciativa, com a colaboração da gerência do Pingo Doce de Ansião, ali representada pela pombalense Adília Fernandes.

Na ocasião foram ainda entregues mantinhas e almofadas do coração à LPCC.NRC, destinadas a doentes acamados ou em cadeira de rodas, bem como a mulheres no período pós-cirurgia ao cancro da mama, revelou Natália Martins, do GVC.

Momentos antes do lanche partilhado, Laura Tomé, em representação da LPCC, destacou a cooperação entre as instituições, no apoio a esta causa. “Tudo o que a Liga tem provém destes apoios da comunidade” e, só assim, “pode devolvê-los à comunidade”.
Seguindo a linha de raciocínio de Laura Tomé, Ana Carolina de Jesus enalteceu a dinâmica do Grupo de Voluntariado Comunitário. Para a tesoureira do executivo da Junta de Freguesia de Pombal, trata-se de “um núcleo de trabalho muito unido” e que “quer fazer coisas em prol da comunidade”. No entanto, e perante as acções que o GVC desenvolve, a representante da Junta reconhece que a sala disponibilizada naquele edifício “não é suficiente”. Aproveitando a presença do presidente da Câmara, Ana Carolina de Jesus deixou um repto para que lhes seja atribuída uma sede: “merecem ter um espaço de trabalho digno para acolher estas actividades”, salientou a autarca.
Ao pedido deixado, Pedro Pimpão respondeu positivamente. O edil revelou estarem a ser feitos esforços no sentido de “encontrar uma solução mais definitiva” para o grupo. Antes disso, o presidente da Câmara agradeceu aos voluntários ali presentes, “que prescindem do seu tempo para trabalharem em prol dos outros”, realçando que “não conhecemos muitos com esta dinâmica”.
No período compreendido entre Janeiro e Outubro de 2023, beneficiaram do Programa de Apoio Social material da Liga Portuguesa Contra o Cancro (região Centro) 414 doentes, traduzidos em 2.521 apoios, num montante que ascendeu a 164 mil euros. Números que representam, segundo aquela associação, um acréscimo de cerca de 22% face a período homólogo. A medicação (36%), o pagamento de rendas ou prestações à habitação (25%), alimentação (21%) e as deslocações para as unidades de tratamento hospitalar (14%) lideram os pedidos de ajuda.

A subida generalizada dos preços dos bens essenciais e o impacto da subida das taxas de juro dos empréstimos à habitação e dos valores de arrendamento foram as principais situações que conduziram a um aumento do número de doentes a recorrer a este Programa, segunda a LPCC.NRC.