Plano de Recuperação ignora projectos estruturantes da região de Leiria

0
290

O presidente da Junta de Freguesia de Pombal critica o Governo por não incluir “os investimentos importantes para a nossa região e para o nosso concelho” no Plano de Recuperação e Resiliência de Portugal (PRRP).
Nesse sentido, Pedro Pimpão propôs que a Assembleia Municipal de Pombal se pronuncie sobre o documento, acompanhando a tomada de posição da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL).
“Os investimentos importantes, que há muito ansiamos para a nossa região e para o nosso concelho em particular, não estão previstos no PRRP”, lamentou Pedro Pimpão, referindo-se às intervenções no IC2, IC8 e EN 109, à melhoria da linha ferroviária do Oeste e da própria linha do Norte, bem como à abertura da base aérea de Monte Real à aviação civil.
O deputado municipal censura ainda o documento por dar “especial enfoque” aos grandes investimentos públicos para as “áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto”, ignorando “grandes intervenções” essenciais para o resto do país.
Por isso, o autarca propôs que “a Assembleia Municipal se possa pronunciar no âmbito desta consulta pública”, dando conta da “necessidade dos milhares de milhões de euros deste PRR também contemplarem a nossa região”, incluindo “pelo menos estes projectos fundamentais para o desenvolvimento do nosso território”.

CIMRL reclama investimentos fundamentais

Entretanto a CIMRL já tomou uma posição sobre o documento, que considera “incoerente e inconsistente”, uma vez que “não contempla projectos fundamentais para a região”, que estão “já identificados no Plano Nacional de Investimentos”.
“O PRR configura uma oportunidade irrepetível para que a região e o país possam levar a cabo as propostas estruturantes e fundamentais”, defende a CIMRL, constatando que o documento “não faz jus a essa oportunidade para a região de Leiria”.
“Neste contexto, considera-se imprescindível que o Governo recupere os projectos que a CIM de Leiria apresentou e os enquadre no PRR”, “sob pena do desenvolvimento desta região ficar francamente comprometido”.
Assim, a CIMRL defende que este Plano de Recuperação deve incluir, entre outros, os projectos previstos para o IC2, IC8 e IC9, bem como a abertura da base aérea de Monte Real à aviação civil, a ligação de Porto de Mós à A1 e a melhoria da linha ferroviária do Oeste.

Pedro Pimpão lamenta que intervenções como a do IC2 não façam parte do plano

Além disso, deve prever a intervenção em instalações de saúde que estão em “situação de ruptura”, equacionar uma solução para a bacia hidrográfica do Liz e recuperar as áreas ardidas, reflorestando a região.
De referir que o Plano de Recuperação e Resiliência tem como objectivo retomar o crescimento económico do país, prevendo 36 reformas e 77 investimentos a executar até 2026, com recursos de cerca de 14 mil milhões de euros de subvenções.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição impressa de 11 de Março