Em memória do Holocausto

0
1657

O Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto foi assinalado pelo Agrupamento de Escolas de Pombal com um momento simbólico em que foram plantadas duas oliveiras; uma na Escola Secundária e outra na Marquês de Pombal. A data comemora o aniversário da libertação do campo de extermínio nazi de Auschwitz, que aconteceu no dia 27 de Janeiro de 1945.

As oliveiras, cedidas pelo Município de Pombal, representam a paz, como explicou no discurso proferido na ocasião, Manuel António Santos, presidente do Conselho Geral do Agrupamento: “a oliveira simboliza a paz, a prosperidade, a união entre os povos e a vida capaz de resistir a qualquer dilúvio. Sem dúvida por isso, as suas folhas estão presentes no emblema da ONU”. Com este acto carregado de simbolismo, o Agrupamento pretende não deixar cair no esquecimento “as vítimas da barbárie, homenagear os Justos entre as Nações que contra ela se insurgiram e contribuir para a prevenção dos crimes cometidos contra a humanidade”, declarou.

Esta e outras iniciativas previstas para o presente ano lectivo “surgem na sequência da minha participação no VI Seminário Internacional sobre o Ensino do Holocausto, que decorreu em Jerusalém, de 11 a 20 de Agosto de 2013”, conta a professora Isabel Vicente. “Tendo tido o privilégio de durante dez dias ter aprendido imenso e ter ouvido histórias contadas na primeira pessoa, vividas por sobreviventes do Holocausto, só me resta cumprir a minha missão e passar a palavra”, afirma. É neste sentido que a direcção, os professores de variadas áreas disciplinares e assistentes operacionais daquele Agrupamento se juntam a esta causa e através do projecto designado por ‘O Comboio da Memória’ promovem actividades alusivas à percepção de que “o Holocausto não é apenas um tema judaico, mas uma preocupação universal”, dado que o racismo, a xenofobia e a intolerância são “temas actuais e não são compatíveis com a democracia”. O objectivo é não deixar que as gerações futuras o esqueçam nem que a História se repita.