Infertilidade e Nutrição, que relação?

0
1477

O número de casos de infertilidade tem vindo a aumentar nos últimos anos no Mundo, na Europa, e Portugal não é excepção. Existem vários fatores que explicam esta tendência mundial.

A dieta mediterrânea é um padrão alimentar saudável, e de acordo com um artigo de revisão da Harvard Medical School, os nutrientes específicos como o folato e os ácidos gordos ómega-3 foram positivamente associados a índices de fertilidade.
Por outro lado, diversos estudos realizados na Europa, a infertilidade nos casais têm vindo a aumentar, por volta dos 7%, e isto é um problema a vários níveis. Esta é definida como a inexistência de uma gravidez após tentativa de pelo menos 12 meses, sem o uso de métodos contraceptivos.
Também se sabe que, fatores como a idade do casal, a alimentação, o exercício físico, a composição corporal e outros fatores de estilo de vida podem ter impacto na saúde reprodutiva. Dados da revista científica Fertility and Sterility revelam que quer o excesso, quer o défice têm um impacto negativo na fertilidade do casal, por exemplo, quando o índice de massa corporal (IMC) é superior a 35 (o equivalente a obesidade de grau II ou III) , o tempo de concepção pode ser 2 vezes superior. O excesso de gordura favorece a resistência à insulina, afetando negativamente a ovulação e a qualidade dos espermatozóides. Quando o IMC é inferior a 19 o tempo de concepção pode ser 4 vezes superior.

Conclusão: Factores como a idade do casal, a alimentação e nutrientes específicos, o exercício físico, a composição corporal e outros fatores de estilo de vida (exemplo: stress, sono, temperaturas altas) podem ter impacto na saúde reprodutiva.
Neste contexto, a nutrição pode ajudar na prevenção e no tratamento da infertilidade feminina ou masculina!

E tendo em conta o que foi descrito anteriormente, o ou a nutricionista tem vindo a assumir um papel importante neste âmbito, seja na prevenção, bem como no auxílio do tratamento, começando a ser incorporado na equipa multidisciplinar de intervenção. Por outro lado, os médicos especialistas também começam a ver a nutrição como um elemento cada vez mais importante neste contexto. Por isso, vale a pena apostar na nutrição!

Elaborado por:
António Cordeiro
Nutricionista
CP:0728N