Como a alimentação pode ajudar na infecção com coronavírus (COVID-19)? Parte II

0
1930

No último artigo escrevi sobre o tema do momento o COVID 19, e irei continuar a escrever, dado que cada vez mais vamos assistindo a um volume de contra informação enorme na área da alimentação, o que deixa muitos leitores confusos e sem saber em quem confiar.
Irei falar de mais alguns alimentos que ajudam o sistema imunitário a funcionar corretamente e que devem fazer parte de uma alimentação equilibrada e variada. Os alimentos são os seguintes:
Alimentos ricos em antioxidantes – De um modo geral os antioxidantes são moléculas que nos protegem das agressões originadas por fatores internos e externos. Existe um leque variado de alimentos ricos em antioxidantes, sendo de destacar aqueles com quantidades maiores de flavonóides e outros polifenóis (ex: mirtilos, framboesas, morangos, amoras, arandos, romã, couve, chá, uvas,,).
Água – A água “dá Vida”. Diz muito da importância da água no ser humano. Ter um nível de hidratação equilibrado é fundamental para garantir o bom funcionamento do sistema imunitário.
Alho – Um alimento muito falado nesta altura. É de facto um alimento com várias propriedades medicinais, parece ter capacidade de contribuir para um funcionamento adequado das células do sistema imunitário. Contém compostos bioactivos, e a alicina, que parece ajudar na resposta das defesas.
Brócolos – é um hortícola muito interessante, devido ao seu sabor, aspecto e valor nutricional. Possui vários antioxidantes, e uma classe de moléculas sulforafanos, que parecem ser importantes reguladores no funcionamento do sistema imunitário.
Anis estrelado – É uma especiaria bonita e tem vários compostos bioactivos. Sendo de destacar o ácido chiquímico, que parece ser importante para a função de alguns glóbulos brancos na resposta às infecções virais.
Probióticos – Grande parte das nossas defesas estão situadas no intestino, e o funcionamento do sistema imunitário depende de vários factores, nomeadamente da microbiota intestinal. Por isso, é fundamental garantir um equilíbrio das bactérias do intestino, para que o sistema imunitário seja estimulado de forma correcta. Exemplos de probióticos são os seguintes: kefir, iogurte, sopa miso, tempeh e vegetais fermentados.
Por fim, relativamente ao uso de suplementação, neste momento não existe evidência científica que justifique o consumo de suplementos alimentares, com o objetivo de reforçar o sistema imunitário, a não ser que existam de facto carência nutricionais importantes. O melhor é mesmo realizar uma alimentação que contenha todos esses nutrientes, para criar condições para o nosso sistema imunitário funcione de forma correta.
Tenha cuidado consigo e proteja-se!

António Cordeiro
Nutricionista
CP:0728N
Email: anto_cordeiro@sapo.pt