Covid-19 | Subiu para oito o número de mortes em Pombal

0
7560

Subiu para oito o número de óbitos no concelho de Pombal, vítimas de Covid-19, aumentando assim três em relação à passada sexta-feira. Há, ainda, o registo de mais três casos confirmados, dois dos quais relativos a funcionárias da Associação Sócio-Cultural, Recreativa e Educativa da Cumieira e Circunvizinhas, na freguesia de Pombal.
Em declarações ao Pombal Jornal, o Delegado de Saúde de Pombal explicou que os três novos óbitos são dois homens, de 80 e 72 anos de idade, da freguesia de Pombal que estavam hospitalizados em Coimbra, e uma mulher de 79 anos, de Meirinhas e que estava internada no Hospital de Santo André, em Leiria.
Segundo José Ruivo, os dois homens sofriam de insuficiência real, sendo que o mais novo era utente de um lar da freguesia de Pombal. O mais velho, de 80 anos, de acordo com as informações facultadas por um familiar, residia em Pombal e fez hemodiálise durante “mais de sete anos em Coimbra”. Só mais recentemente é que passou a realizar os tratamentos em Pombal.

Já a senhora da freguesia de Meirinhas terá recebido a visita de um filho emigrante, suspeitando-se que tenha sido esse o foco de contaminação. O seu marido está também infectado, mas em vigilância activa no seu domicílio.
De referir que a nota informativa da situação epidemiológica divulgada hoje pela Autoridade de Saúde Pública dava conta de sete óbitos, mais dois em relação a sexta-feira. No entanto, já ao início desta tarde o Delegado de Saúde foi notificado da morte do idoso de 72 anos. O mesmo boletim dava conta da existência de 50 casos confirmados (mais três) e 46 situações em vigilância activa.
O Delegado de Saúde mostra-se agora preocupado com as novas orientações da Direcção-Geral de Saúde (DGS) que faz com que as situações passem a ser acompanhados pelos respectivos médicos de família. “Se não houver uma boa articulação de todos os envolvidos, a Autoridade de Saúde Pública só tomará conhecimento dos casos quatro ou seis dias depois, o que dificulta” o processo de investigação e identificação de eventuais contactos das pessoas que deram resultado positivo.
Quanto à situação do Lar da Cumieira, onde estão 17 utentes infectados, José Ruivo refere que a situação está a ser acompanhada por um enfermeiro voluntário em permanência e visitas de médicos, o que permite a prestação de cuidados de saúde mais atempados.
No entanto, a instituição continua a registar falta de recursos humanos e de material de protecção individual, nomeadamente máscaras e fatos.

Partilhar
Artigo anteriorComo a alimentação pode ajudar na infecção com coronavírus (COVID-19)? Parte II
Próximo artigoDelegado de Saúde: “Era expectável que tivéssemos mais casos”
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal”, quinzenário com o qual deixou de colaborar no final de Maio de 2020.