Cidade recebe 26 estátuas vivas barrocas

0
2856
Festival decorre este fim-de-semana

A segunda edição do Festival de Estátuas Vivas Barrocas, um evento alusivo à época do Marquês de Pombal, vai contar este ano com a participação de 26 personagens, dispostas ao longo das ruas da cidade. Trata-se de um evento que pretende “recriar, em imagens vivas, personagens da época pombalina, cenas setecentistas, jogos, trajes e costumes, o quotidiano e profissões populares, a música e a história da época barroca”, refere a Câmara Municipal.
Nos dias 27 e 28, entre as 15 e as 18 horas, as ruas da zona histórica serão palco do festival, onde 26 personagens, dispostas ao longo das ruas, estabelecerão a ligação entre o público e a época recriada, interagindo com ele, convidando-o a participar e a viver tempos passados.
“Utilizando várias técnicas para retractar diferentes aspectos, nomeadamente bronze, pedra e porcelana, serão elaborados figurinos e diversos elementos de cena que recriam personagens e costumes da época barroca”, refere a autarquia, adiantando que este ano, para além das estátuas, o evento contará com “diversa animação ao longo do percurso”, nomeadamente com a presença de um “cicerone que apresentará, de um modo gracioso e divertido, o historial de cada estátua, animação com malabaristas trajados à época e animação musical, com músicos profissionais que tocarão peças barrocas em violino e violoncelo”.

Vias cortadas ao trânsito
Durante o fim-de-semana, há várias artérias na cidade onde a circulação automóvel estará interdita. São elas a Rua Capitão Tavares Dias, a Rua Almirante Reis, a Travessa das Almas, a Rua Miguel Bombarda, o Largo das Almas e a Rua José Falcão, todas elas na zona histórica da cidade.

Partilhar
Artigo anteriorPaulo Duarte volta a candidatar-se à Junta da Redinha pelo PS
Próximo artigoLavar e secar roupa pode deixar de ser uma preocupação
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.