Cercipom projecta novo CAO descentralizado

0
1019

Com vista a responder às necessidades da comunidade, a Cooperativa de Ensino e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Pombal (Cercipom) está a desenvolver um projecto para a criação de um novo Centro de Actividades Ocupacionais (CAO). A valência poderá ser instalada na antiga escola primária de Matos da Ranha, na zona Sul do concelho.
Segundo o presidente da direcção, Manuel Ferreira dos Santos, a ideia surgiu face às “muitas solicitações” que têm chegado à instituição que, perante as actuais condições não consegue satisfazê-las. É que os actuais CAO, na cidade de Pombal e na vila da Guia, que servem 90 e 30 utentes, respectivamente, não têm capacidade para acolher mais utentes.
Tendo em conta a disponibilidade da Câmara Municipal de Pombal em ceder o edifício da antiga escola primária de Matos da Ranha, a Cercipom está a avançar com o respectivo projecto. “O espaço já foi visitado por técnicas da Segurança Social e estamos numa fase de estudo e elaboração do respectivo projecto”, refere o dirigente, realçando que haverá necessidade de realizar obras de adaptação e ampliação do edifício com vista a adequá-lo à função daquela resposta social, destinada a pessoas com idade igual ou superior a 16 anos, com deficiências e/ou incapacidades.
Ainda segundo Manuel Ferreira dos Santos, a valência terá capacidade para 30 utentes, tal como acontece com o CAO instalado na vila na Guia, na zona Oeste do concelho.
De entre outros objectivos, o CAO tem como objectivo “promover níveis de qualidade de vida nas suas várias dimensões (relações interpessoais; autodeterminação; bem-estar emocional, físico e material; empregabilidade/ocupacional; cidadania e direitos), traduzidos nos planos individuais de cada cliente da resposta”.

Partilhar
Artigo anteriorSopas servidas em Vermoil para ajudar voluntário
Próximo artigoDuas crianças feridas com gravidade em colisão no IC8
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.