Centenas de pessoas deram sangue para ajudar a Mélanie

0
1069

Centenas de pessoas mostraram ontem a sua solidariedade para com Mélanie Pantaleão, a jovem enfermeira de Pombal que aguarda por um transplante de medula óssea para combater o linfoma que lhe virou a vida do avesso.

Ao longo de todo o dia, foram muitos os que fizeram questão de se deslocar às instalações dos Bombeiros Voluntários de Pombal, sobretudo jovens, fazendo com que a equipa de médicos e enfermeiros do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) não tivesse mãos a medir para fazer face às longas filas de espera, sobretudo no período da tarde. Hoje, e já com os números oficiais, o IPST adiantou ao nosso jornal que a acção de ontem resultou em 294 dádivas de sangue e 216 dádivas para compatibilidade de medula, sendo que, nalguns casos, houve dadores que deram sangue para as duas finalidades.

Emocionada com a adesão da comunidade, Albina Pantaleão, mãe de Mélanie, aproveita para, em seu nome e da filha, agradecer a todos os que têm dado o seu contributo. Enaltece, ainda, o papel da Junta de Freguesia de Vila Cã, que sensibilizou todos os colaboradores a participar na acção, e mostra-se igualmente grata pelo apoio dado pelos párocos de Pombal, Santiago e São Simão de Litém na divulgação da colheita. Palavras que se estendem os Bombeiros Voluntários de Pombal, pela forma como acolheram a iniciativa e pelo apoio manifestado desde a primeira hora.

A pensar nos muitos estudantes universitários pombalenses que se encontram em Lisboa, estão já agendadas diversas acções para o próximo mês de Abril, conforme cartaz que se segue.

Colheita Lisboa (2)

Em Pombal, e para quem não teve oportunidade de participar esta segunda-feira, pode fazê-lo no dia 30 de Maio, na Escola Secundária de Pombal. De sublinhar que o procedimento para a colheita de medula óssea é bem mais simples e rápido do que a colheita de sangue tradicional, bastando uma pequena amostra para o efeito. Mesmo aqueles que deram sangue recentemente, não ficam impedidos de participar.

Recorde-se que o pesadelo de Mélanie Pantaleão começou em 2013, quando um linfoma lhe bateu à porta. Depois de longos meses de tratamentos de quimioterapia, o drama parecia ter ficado para trás. No entanto, e já em Fevereiro deste ano, o linfoma recidivou e a jovem enfermeira luta agora com todas as armas para travar a doença. Apesar de estar a fazer tratamentos de quimioterapia em Coimbra, onde está internada, Mélanie Pantaleão precisa de um transplante de medula óssea. Família, amigos e muitos anónimos, que não ficaram indiferentes a esta causa, têm dinamizado uma campanha de mobilização, apelando à participação do maior número de pessoas nas colheitas que estão a ser feitas em várias zonas do país.

Os interessados podem acompanhar toda a informação no grupo público que foi criado no Facebook para o efeito: “A Mélanie precisa de ti!”.