Associação distribuiu presentes em hospitais e lares residenciais no Natal

0
814

A Associação Dimitri Francisco, com sede em Pombal, distribuiu cerca de seis mil euros de presentes no dia de Natal, a doentes de quatro hospitais e dois lares residenciais de apoio a deficientes.

Presidida por um emigrante de Pombal, a associação levou pais natais, trenós e duendes aos hospitais de Santo André, em Leiria, Distrital de Pombal, Distrital da Figueira da Foz, Pediátrico de Coimbra, Instituto Português de Oncologia do Porto e lares residenciais da Cercipom (Cooperativa de Ensino e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Pombal).
Criada por Gilberto Francisco, que por vicissitudes da vida pessoal passou parte da vida em hospitais pediátricos de França, a associação nasceu para tentar alegrar aqueles que passam o dia de Natal sozinhos no hospital, nomeadamente crianças, explicou à Lusa um dos seus membros, Michael António, que falou em nome do presidente, ainda ausente do país.
Este ano, a associação conseguiu reunir cerca de seis mil euros oferecidos por mecenas em nome individual e empresas.
A acção começou há cerca de 30 anos nos hospitais franceses, mas, em 2016, Gilberto Francisco foi desafiado a desenvolver o projecto na sua cidade natal, criando formalmente a Associação Dimitri Francisco, em 2019, quando distribuiu presentes em sete hospitais de norte a sul do país.
A pandemia suspendeu a distribuição de presentes em 2020, mas a associação ofereceu milhares de equipamentos de protecção individual por diferentes unidades de saúde da região Centro, informou Michael António.
Associação de direito privado, sem fins lucrativos, a Dimitri Francisco tem por missão promover e realizar acções de solidariedade, no Natal, em hospitais, instituições particulares e cooperativas, de solidariedade social, em Portugal, não havendo ninguém remunerado, imposição dos seus próprios estatutos.
“A missão é promover a realização de acções de solidariedade no natal, sobretudo em hospitais e junto de crianças internadas, mas não só, e em instituições particulares de solidariedade social, em Portugal”, referiu ainda aquele membro da associação.
Segundo Michael António, a associação ampara ainda crianças com necessidades especiais, patrocina projectos específicos em hospitais pediátricos portugueses, como a ‘newsletter’ do Hospital Pediátrico de Coimbra, a decoração e humanização da sala de Urgências do Pediátrico de Coimbra, em parceria com o projecto Marinheiros da Esperança e a Marinha Portuguesa.

LUSA