As tapas são um bom pretexto para conhecer este espaço

0
1470

No Art’apas, há uma imensa variedade de pitéus que são o ponto de partida para desfrutar de um serão à volta da mesa. O restaurante tornou-se conhecido pelas tapas, mas da fama granjeada têm também uma palavra a dizer a tosta à francesinha e as saladas de massa.

O Art’apas é uma evolução do antigo restaurante O Cantinho
Na Rua de Santa Luzia, no centro da cidade de Pombal, há um espaço onde as tapas têm lugar de eleição. Os pratos chegam à mesa com iguarias de excelência e são o ponto de partida para serões onde o tempo corre devagar, ao som de música ambiente que torna o local ainda mais acolhedor. Ali, a diversidade de petiscos abre portas a uma cozinha de excelência, mas é também o argumento certo para quem gosta de convívios à volta da mesa, onde as conversas fluem enquanto se petisca mais qualquer coisa.

Ondina Silva, a mulher que toma conta da cozinha do restaurante Art’apas e é o rosto deste projecto, não deixa nenhum pormenor ao acaso. A paixão por aquilo que faz reflecte-se na escolha criteriosa dos ingredientes, no cuidado colocado no empratamento e na variedade e marca de diferenciação que faz questão de ter no cardápio. E por aqui desfilam iguarias de deixar água na boca, como os ovos mexidos com cogumelos, chouriço e alheira; o camembert gratinado com framboesas; a wok de frango com pimentos; a courgette recheada; a amêijoa à bulhão pato; os espargos com presunto e queijo; o bacalhau com crosta de azeitonas, acompanhado de migas de espargos; os bifes; as espetadas de mozzarela & cherry e outros pitéus mais. Porque o difícil é mesmo escolher, Ondina Silva dá uma pequena ajuda e sugere o “ninho guloso”, um prato especial e que é, no entender daquela responsável, “a tapa mais interessante que temos”. A acompanhar, um bom vinho ou uma das muitas cervejas internacionais disponíveis. Depois do estômago saciado, fica uma certeza: a de querer regressar.

Mas nem só de tapas vive o restaurante. Ao almoço, o espaço dispõe de menu do dia, a um preço muito convidativo. Por apenas 6,5 euros, o cliente usufrui de entradas, sopa, um prato principal, bebida e café. No entanto, pode sempre optar-se também pela já afamada tosta à francesinha (com pão caseiro) ou por uma das saladas de massa. A mais recente novidade são os hambúrgueres caseiros, à base de carne de vaca, sempre às quintas-feiras, por apenas 4,5 euros. Seja qual for a escolha, a garantia é de que tudo é feito na hora.

Na que toca a sobremesas, o dilema é igualmente grande. O petit gâteaux com bola de gelado é dos mais procurados, mas Ondina Silva gosta de ir variando, para poder surpreender os paladares mais exigentes.

“Pombal merecia um espaço assim”, diz, com orgulho, a mulher que comanda a casa. Além disso, “o conceito de tapas é muito engraçado e não existe cá em Pombal”, sublinha a proprietária, que evidencia o facto de o conceito “unir as pessoas à refeição”. “Como não há um prato individual, cada pessoa vai ter de ir buscar um pedacinho de comida aos pratos que vêm para a mesa, e acaba por haver mais interacção entre elas”, constata.

No Art’apas há agora noites temáticas, uma vez por mês. Além disso, o restaurante serve também refeições para fora. Basta ligar para o 917422399 ou 236024009. Às segundas não serve jantares e ao fim-de-semana abre a partir das 18h00.