“Na secção de Pombal não pactuamos com ilegalidades”

0
1234

A repetição das eleições para a Federação de Leiria do Partido Socialista nas concelhias de Alcobaça, Óbidos e Pombal, estava agendada para ontem, dia 19 de Setembro, mas em nenhuma destas secções se concretizou o acto eleitoral.

No que respeita à concelhia de Pombal, Carlos Lopes afirmou que a oposição à participação nas eleições se prende a falta de legitimidade da Comissão Organizadora do Congresso (COC) para marcar eleições. A decisão da Comissão Política, adianta o presidente da concelhia, é de que “na secção de Pombal não pactuamos com ilegalidades e que estaremos disponíveis para fazer eleições em Pombal se, e quando, os órgãos com competência para marcar eleições o fizerem”, afirmando ainda que, com esta posição, o PS de Pombal “deu um grande exemplo daquilo que deve ser a legalidade do partido”.

Já a candidatura de António Sales, realizou uma conferência de imprensa ainda na noite de ontem e publicou na página da candidatura a sua autoproclamação, aceitando como finais os resultados de 607 votos na sua candidatura e de 484 em José Miguel Medeiros. “Face ao boicote por parte da outra candidatura e até porque há linguagens políticas que nos ultrapassam, não nos resta alternativa senão considerar o resultado homologado”, pode ler-se na nota publicada, onde se acrescenta que “assumimos a vitória neste processo eleitoral e voltaremos a dirigir-nos aos militantes em breve, antecipando a ação política do cargo que nos foi democraticamente confiado”.

Em resposta, a candidatura de José Miguel Medeiros adjectiva esta posição como “patética, reveladora de desorientação e desespero”, questionando, ao jeito do líder nacional, “qual é a pressa para repetir eleições? Qual é a pressa?”, e sublinhando que “fica claro que há aqui outras motivações que nada têm a ver com a defesa do PS no distrito”.

O ex-governador civil fez ainda uma saudação às concelhias de Alcobaça, Óbidos e Pombal, porque “deram um contributo essencial para a salvaguarda da democracia e para o regular funcionamento do Partido no distrito”.

Esta candidatura aguarda a decisão do Conselho Nacional de Jurisdição em relação aos recursos que se encontram pendentes.