Graziela Costa: “Ver a alegria das crianças quando recebem um brinquedo meu é mágico”

0
1425

A um ritmo quase diário, Graziela Costa pega na linha e na agulha para dar vida a brinquedos para crianças. Das mãos da artesã de 64 anos, residente em Alqueidão (Santiago de Litém), nascem trabalhos a partir de pontos de crochê, com recurso ao amigurumi, uma técnica japonesa.

Graziela Costa ainda trabalhava quando descobriu o amigurumi. “Foi um escape que arranjei, numa altura em que precisava de ocupar o pensamento com coisas positivas”, recorda, no início da conversa que decorreu no ateliê que tem em casa. “Vi a publicação no facebook de uma amiga que vive em França e gostei muito”. A curiosidade despertou-lhe a vontade de aprender a técnica. Por sugestão dessa amiga, foi no youtube que encontrou os vídeos para avançar.
O entusiasmo cresceu de tal ordem que pouco depois fez a primeira boneca de amigurumi “com as sobras de linhas que tinha em casa”. Estávamos em 2017. “Era tão feinha”, conta a artesã, entre sorrisos, ao lembrar essa experiência inicial.
O hobby que começou em jeito de terapia foi-se tornando um caso sério de amor e, em 2018 (ano em que celebrou 60 anos), um dos filhos de Graziela cria uma página de facebook para dar visibilidade ao trabalho da mãe: “Graziela Canela”.

No mesmo ano, estreia-se no Mercado de Natal promovido pelo Município de Pombal, onde recebeu inúmeros elogios, “embora não tenha vendido muito”. Dessa participação não esquece as palavras de um menino que visitou o expositor: “se eu pudesse, comprava isto tudo à senhora”. Aliás, a felicidade estampada no rosto de quem recebe os seus trabalhos tem sido um bálsamo neste trajecto. ”Ver a alegria das crianças a receber um brinquedo meu é mágico”, diz, com um brilho nos olhos, evidenciando que esta é a grande motivação. “Não dá para ganhar dinheiro, mas ganham-se outras coisas”, acrescenta.
A aprendizagem rápida foi facilitada pelos conhecimentos que a artesã já tinha de tricô e croché, “porque o amigurumi é trabalhado em espiral”, o que faz com que não seja fácil para quem está a dar os primeiros passos.
Graziela faz essencialmente bonecos, até porque são os mais procurados, mas já se aventurou também a criar cactos e flores. Pontualmente, faz trabalhos personalizados, em resposta a solicitações de clientes, mas são as personagens do imaginário infantil que mais a inspiram.

A artesã perde a conta às horas gastas na realização de um trabalho. O amigurumi é meticuloso e exige rigor e muita concentração. “Um boneco pode demorar um dia de trabalho”, conta Graziela. Os fios que utiliza são em algodão, a pensar nas crianças, com a particularidade de todas as peças serem laváveis, resistentes e não causarem alergias.

No próximo dia 4 de Março (sábado), podemos encontrar “Graziela Canela” em Pombal, na Feirinha do Cardal, organizada pela Associação de Artesãos de Pombal (ADAP), entre as 10h00 e as 19h00, e onde há oportunidade para adquirir trabalhos dos cerca de artesãos que ali vão marcar presença. Graziela é sócia da ADAP desde 2019.

*Notícia publicada na edição impressa de 23 de Fevereiro