Edite Santos acusa uso abusivo do seu nome para dirigente dos bombeiros

0
771

Edite Olaio Santos Domingues garante que nunca foi convidada para integrar a lista candidata à direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pombal, encabeçada por Rodrigues Marques, pelo que a inclusão do seu nome como vogal “é abusiva”. Num “esclarecimento público”, a socialista afirma que “é absolutamente falso que integre a lista”.

A lista em causa foi apresentada a sufrágio na assembleia geral do passado dia 26 de Março, onde obteve 38 votos a favor, 37 em branco e 28 nulos.

O elenco directivo é presidido por Rodrigues Marques, tendo vice-presidente Diogo Mateus, coadjuvados por Artur Freire (1º secretário), João Antunes dos Santos (2º secretário), Manuel Monteiro (tesoureiro) e Carlos Ferreira, José Silveirinha, Cidália Cardoso e Edite Olaio Santos (vogais).

Contudo, Edite Olaio Santos garante que foi contactada para integrar aquela lista, adiantando que nem sequer é sócia da Associação Humanitária, apesar do respeito que nutre pelos bombeiros e a amizade que mantém com Rodrigues Marques.

Em declarações ao Pombal Jornal, a ex-directora do Núcleo de Respostas Sociais da Unidade de Desenvolvimento Social do Centro Distrital de Segurança Social de Leiria, confirma que Rodrigues Marques lhe telefonou na tarde do dia 26 de Março “para falar dos bombeiros” mas a conversa ficou adiada para mais tarde, devido à impossibilidade de o atender naquele momento.

Diz que ficou estupefacta quando leu a notícia no jornal que a citava como vogal da direcção eleita. “Até agora [hoje ao início da tarde, 8 de Abril] ninguém falou comigo”, garante, adiantando que “ainda aguardei alguns dias que tal viesse a acontecer, mas como não aconteceu, resolvi emitir o comunicado”. Até para que “não possam restar quais dúvidas sobre a minha não inclusão na lista”, frisa.

Desde de manhã que a nossa redacção aguarda por um esclarecimento por parte de Rodrigues Marques.

Por sua vez, confrontado com aquela situação, o presidente da mesa da Assembleia Geral, José Manuel Carrilho não escondeu a sua surpresa, classificando aquele facto como “muito desagradável”.

José Manuel Carrilho refere que fez fé da lista que lhe foi apresentada por Rodrigues Marques para ser submetida à votação, convicto que aquele teria contactado todos os elementos incluídos na mesma. Garantiu-nos que iria solicitar que o presidente da direcção esclarecesse o sucedido com Edite Olaio Santos, disponibilizando-se ele próprio a fazê-lo.

Em declarações ao nosso jornal, ao início da tarde, Edite Domingues lamentou que ninguém a tivesse contactado. “Apenas me ligou um camarada meu, do Partido Socilialista, para me dizer que o engenheiro Rodrigues Marques me iria ligar, mas até agora ninguém me ligou”, afirmou, acrescentando: “estou extremamente aborrecida por andarem a brincar comigo e pela falta de consideração para com a minha pessoa”.

ORLANDO CARDOSO