Da matança ao prato, uma tradição que se perpetua na aldeia do Vale

0
758

A tradicional matança do porco, outrora um ritual com grande importância na vida das comunidades rurais, é hoje uma tradição arquivada nas memórias de muitas gerações. O mundo mudou e aquela que era uma prática com relevância económica e social no seio das famílias foi caindo em desuso, mas há quem teime em não a deixar esquecer.
Na Associação dos Amigos da Aldeia do Vale, os usos e costumes que ditaram o pulsar das aldeias têm ali encontro marcado, ao longo do ano, não fosse essa a grande missão da colectividade presidida por Ernesto Ferreira.
A próxima iniciativa está agendada para este sábado, dia 10, altura em que têm início os rituais associados à matança do porco. Ainda que esta seja feita em estabelecimento próprio para esse efeito, atendendo à legislação em vigor, todos os passos seguintes decorrem já na colectividade da freguesia de Vila Cã.
O programa estende-se por dois dias e é aberto a quem queira participar. No sábado, ao almoço, há sopa à base de carnes do porco e ao jantar é servida a tradicional tachada (a cachola, como é vulgarmente conhecida), ainda que a associação tenha um prato alternativo para quem não seja apreciador.
No domingo, é dia de desmanche do porco, pela manhã, e à mesa do almoço será servido lombo de porco à antiga.
Os interessados em participar na iniciativa, seja no sábado ou no domingo, devem reservar o seu lugar, uma vez que o espaço é limitado. Está disponível o telefone 916747925 ou o email amigos.aldeiadovale@gmail.com.