Região com cerca de 373 mil euros para controlar vespa velutina

0
500

A Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL) vai dispor de cerca de 373 mil euros para prevenir e controlar a vespa velutina, disse esta segunda-feira (dia 8) à agência Lusa o vice-presidente desta comunidade, Jorge Vala.
Segundo informação disponibilizada no seu sítio na internet, a CIMRL anuncia que viu aprovada a candidatura destinada à detecção e combate à vespa velutina, também conhecida como vespa asiática.
Aprovada pelo Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, “a implementação desta operação tem com objectivo a prevenção e o controlo da vespa velutina na Região de Leiria, sendo implementada através da articulação entre várias entidades, nomeadamente os municípios, associações/cooperativas de apicultores”, o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.
“Representa um investimento total de 373.586,67 euros, beneficiando de um apoio de 85% do Fundo de Coesão no montante previsto de 317.548,67 euros”, a executar até 30 de Junho de 2023, refere a Comunidade Intermunicipal.
A CIMRL adianta que a operação prevê a “aquisição, colocação e monitorização de armadilhas selectivas com utilização de atractivo com feromona específico para vespa velutina”, e a compra de “serviços de eliminação de ninhos através de intervenção química” e “equipamentos para extermínio/destruição de ninhos e respectivos” equipamentos de protecção individual.
A CIMRL explica ainda que está previsto um “plano intermunicipal de comunicação do STOPvespa_RL”.
“O STOPvespa_RL – plano intermunicipal de prevenção e controlo da vespa velutina na Região de Leiria, mais do que uma iniciativa dos municípios que integram a CIMRL como forma de resposta integrada e coordenada de combate a um problema comum e transversal a todo território regional, é, acima de tudo, um contributo da região para o controlo de um problema de nível nacional”, salienta.
Jorge Vala, que é também presidente da Câmara de Porto de Mós, salientou a importância da candidatura”, tendo em conta o risco da biodiversidade” da região “com o ascendente da vespa velutina”.
“Daí a disponibilidade dos 10 municípios abraçarem esta candidatura”, declarou Jorge Vala, um dos dois vice-presidentes da CIMRL, realçando que este é um problema que afecta todos os concelhos desta Comunidade Intermunicipal.
De acordo com o autarca, “a capacidade de instalação desta vespa é muito grande”, sendo que este investimento é “no sentido de prevenir com armadilhas e combater com os equipamentos necessários” para evitar a propagação.
A Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria integra os municípios de Alvaiázere, Ansião, Batalha, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Leiria, Marinha Grande, Pedrógão Grande, Pombal e Porto de Mós.
De acordo com informação disponibilizada no ‘site’ do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, “os principais efeitos da presença desta espécie não indígena manifestam-se em várias vertentes, sendo de realçar” na apicultura, “por se tratar de uma espécie carnívora e predadora das abelhas”, e na segurança pública, dado que estas vespas, “não sendo mais agressivas que a espécie europeia, no caso de sentirem os ninhos ameaçados reagem de modo bastante agressivo, incluindo perseguições até algumas centenas de metros”.

LUSA