Teste a cadáver de mulher do Carriço deu positivo ao Covid-19

0
1501

O teste ao cadáver de Maurícia de Oliveira, residente em Cabeço (Carriço) deu positivo ao novo coronavírus (Covid-19), segundo confirmou a Directora-Geral de Saúde (DGS).
Na habitual conferência de imprensa diária, Graça Freitas confirmou que foi “encontrada na necropsia” contaminação por Covid-19, adiantando tratar-se de um procedimento “post-mortem” que será seguido com outros cadáveres, sempre que exista um “quadro clínico compatível” com ao novo coronavírus.
No entanto, desconhecem-se se as causas da morte estejam directamente relacionada com a infecção.
Maurícia de Oliveira, de 94 anos de idade, tinha várias doenças associadas, designadamente insuficiência renal, o que lhe exigia a realização de hemodiálise. A sénior faleceu nos Hospitais da Universidade de Coimbra, onde estava hospitalizada e o seu funeral realizou-se na tarde de ontem, quarta-feira, para o cemitério do Carriço.
Recorde-se que Maurícia de Oliveira é mãe do homem, de 63 anos de idade, a quem foi diagnosticado infecção por Covid-19 e que se encontra internado no Hospital Distrital da Figueira da Foz.
A situação levou a que dezenas de pessoas da freguesia do Carriço tenham sido colocadas sob vigilância, tendo a autoridade de saúde pública determinado, também, o encerramento de alguns estabelecimentos comerciais da localidade, por onde o doente terá passado e contactado com pessoas.
O Delegado de Saúde do Concelho de Pombal, José Ruivo, tinha alertado, ontem à tarde, em declarações ao Pombal Jornal, para que as pessoas, sobretudo da freguesia do Carriço, se mantenham em casa, em isolamento, referindo que “em caso de algum sintoma deverão contactar a linha SNS24 ou as autoridades de saúde”.
Um apelo reforçado pelo Município de Pombal, solicitando que todos os pombalenses, em especial os habitantes daquela freguesia para que sejam “mais cuidadosos no cumprimento da medida de isolamento social”.

Partilhar
Artigo anteriorPresidente da Junta faz apelo relativo a idosos em isolamento
Próximo artigoFurto a talho
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.