Misericórdia da Redinha quer apoiar mais de 300 idosos isolados

0
517

A Santa Casa da Misericórdia da Redinha está a acompanhar 72 pessoas idosas que vivem isoladas, mas o objectivo é sinalizar 313 seniores da freguesia. Este acompanhamento vem no seguimento do projecto Rede, que arrancou no início do ano e é financiado pelos Prémios BPI “la Caixa” 2020.


A Misericórdia da Redinha está a sinalizar as pessoas idosas que se encontram isoladas social e/ou geograficamente, de forma a apoiar e encaminhar todas as situações que careçam de acompanhamento social, bem como de auxílio na promoção da satisfação das suas necessidades básicas.
Neste sentido, “desde o dia 2 de Janeiro temos vindo a fazer um trabalho porta a porta, pelas 34 aldeias da freguesia”, com o “compromisso ambicioso” de “sinalizar 313 pessoas idosas, que correspondem a 80% dos 391 seniores da freguesia que vivem sozinhos ou com outras pessoas do mesmo grupo etário”, explicou Andreia Dias, coordenadora do projecto, apontando como objectivo “acompanhar e encaminhar pelo menos 157 pessoas idosas, que é metade das sinalizadas”.
Até 17 de Fevereiro, duas técnicas da instituição já identificaram 132 pessoas idosas residentes na Redinha, das quais sinalizaram 72 seniores isolados social e/ ou geograficamente, acompanharam nove beneficiários e encaminharam outros quatro para outras entidades e/ ou serviços.
Estes idosos são “maioritariamente do sexo feminino, da faixa etária dos 80 aos 89 anos e estão isolados socialmente”, disse Andreia Dias, convicta de que este projecto vem responder a uma “necessidade premente”, que se “agravou ainda mais com a pandemia”.
De referir que Rede sinaliza os idosos para perceber se consegue dar resposta às suas necessidades, senão encaminha-os para outros serviços ou entidades. O apoio das pessoas no âmbito deste projecto inclui a aquisição de bens de primeira necessidade, o acompanhamento a consultas e exames complementares de diagnóstico, o convívio à distância, bem como o esclarecimento e acesso a prestações sociais.
Além disso, o projecto inclui ainda uma linha telefónica, que dá apoio a pelo menos 207 pessoas, mas também serve para sinalizar seniores que precisem de acompanhamento.
“Rede é mais um exemplo do nosso trabalho em prol da comunidade”, considera o provedor da Misericórdia da Redinha, Mário Sacramento, sublinhando que, sem este apoio, estes idosos “passariam, muitas vezes, dias, semanas ou até meses sem ver uma única pessoa, devido ao isolamento que vivenciam”.
A vereadora do Município de Pombal com o pelouro da Acção Social, Ana Cabral, evidenciou igualmente a importância deste projecto, que “vem consolidar outros já no terreno”, os quais se assumem como “verdadeiros programas sociais de acompanhamento no território”.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição impressa de 25 de Fevereiro