Câmara dedica o mês de Maio ao Marquês

0
1145

Perpetuar a figura de Sebastião José de Carvalho e Mello, e defender e valorizar o património histórico e cultural pombalino, são alguns dos objectivos da Câmara Municipal de Pombal ao promover o projecto “Maio Mês do Marquês”. Uma iniciativa que, à semelhança de anos anteriores, pretende “recordar e valorizar a figura, a obra e a época do 1º Marquês de Pombal”, refere Cidália Botas.
Segundo aquela técnica superior do município, na próxima segunda-feira, dia 8, será recriado o momento de inauguração do monumento de homenagem ao Marquês, que aconteceu no dia 8 de Maio de 1907 no Jardim do Cardal, em Pombal. “Recriando ambientes característicos da época, seis figuras representativas de alguns elementos presentes na cerimónia de 1907 irão animar o espaço e recriar o momento”, refere Cidália Botas, acrescentando que “será lido o Auto de Inauguração por uma das personagens e as restantes acções serão inspiradas no Registo de Honra publicado em 1907 e em documentos da época que transmitem informações acrescidas sobre a época retratada neste contexto”.
Durante a tarde, a partir das 14h30 terão lugar duas visitas encenadas, dirigidas às escolas e ao público em geral. “Nesta acção, quatro personagens irão animar a visita e actuar nos vários espaços históricos (Celeiro, Praça Marquês de Pombal, Museu Marquês de Pombal e Jardim do Cardal), conduzindo o público ao longo dos vários espaços, numa viagem que inicia no século XVIII e culmina no início do século XIX, remetendo para ambientes próprios das épocas, com enfoque no Marquês de Pombal, na sua época e no património cultural da cidade de Pombal que com ele está relacionado”, descreve Cidália Botas.
Por sua vez, no dia 18, pelas 14h30, a Praça Marquês de Pombal acolherá o Desfile de Sombrinhas Barrocas, resultantes do concurso promovido pelo município, através do Museu Marquês de Pombal e da Divisão de Educação e Acção Social, no âmbito do Plano Estratégico para a População Sénior do Concelho de Pombal. Para esta iniciativa todas as instituições particulares de solidariedade social e lares do concelho “foram convidadas a recriar modelos de sombrinhas barrocas, representativos de diferentes géneros e materiais, evidenciando a magia destes modelos, colocando neles toda a criatividade e sedução, próprias da época barroca”, refere Cidália Botas. O desfile culminará com a actuação da Tuna Sénior do Oeste, que irá interpretar um reportório de música tradicional portuguesa.
Para além destas iniciativas, a Câmara Municipal irá promover a segunda edição do Festival de Estátuas Vivas Barrocas. Um evento alusivo à época do Marquês de Pombal que pretende recriar, em imagens vivas, personagens da época pombalina, cenas setecentistas, jogos, trajes e costumes, o quotidiano e profissões populares, a música e a história da época barroca.
Assim, nos dias 27 e 28, entre as 15 e as 18 horas, as ruas da zona histórica, acolherão 26 personagens que “estabelecerão a ligação entre o público e a época recriada, interagindo com ele, convidando-o a participar e a viver tempos passados”, afirma a técnica superior do município, acrescentando: “utilizando várias técnicas para retractar diferentes aspectos, nomeadamente bronze, pedra e porcelana, serão elaborados figurinos e diversos elementos de cena que recriam personagens e costumes da época barroca”.
De referir que este ano, para além das estátuas, o evento contará com diversa animação ao longo do percurso, nomeadamente com a presença de “um cicerone que apresentará, de um modo gracioso e divertido, o historial de cada estátua, animação com malabaristas trajados à época e animação musical, com músicos profissionais que tocarão peças barrocas em violino e violoncelo”, frisa Cidália Botas.

Notícia publicada na edição nº 106, de 04 de Maio

Partilhar
Artigo anteriorUma homenagem a todas as mães
Próximo artigoVentos fortes atingem freguesia de Carnide
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.