Pombal quer paragem do comboio de alta velocidade

0
804

O executivo da Câmara Municipal de Pombal defende que a futura ligação ferroviária de alta velocidade, entre o Carregado e o Porto, prevista no Plano Nacional de Investimentos (PNI) 2030, inclua uma paragem no concelho. Nesse sentido, o presidente da autarquia, Pedro Pimpão, sugeriu tomar “uma posição pela defesa da construção de uma paragem em Pombal”.
A Infraestruturas de Portugal (IP) já apresentou o projecto da linha ferroviária de alta velocidade à Câmara Municipal de Pombal numa reunião online, informou o vereador Pedro Navega, na reunião camarária realizada a 10 de Dezembro.
“O projecto será desenvolvido por fases”, contou o responsável pelo pelouro das Obras Públicas e Particulares, evidenciando que a primeira parte contempla o troço entre o Porto e Soure e, só depois, estão previstas as obras em território pombalense, as quais se estendem até ao Carregado.
O comboio de alta velocidade “terá somente paragens em Carregado, Leiria, Coimbra, Aveiro e Porto”, afirmou Pedro Navega, alegando que, de acordo com a IP, “é inviável uma paragem em Pombal devido às distâncias, ou seja, a proximidade a Leiria e Coimbra inviabiliza uma paragem no concelho”.
Neste sentido, os passageiros terão de se deslocar até Coimbra, na Linha do Norte, “para entrar na linha de alta velocidade para norte, enquanto que para sul não teremos ligação directa a não ser no Carregado”. “No entanto, a IP garantiu-nos que todos os serviços da linha do Norte serão mantidos ou reforçados”.
Por outro lado, “todos os comboios que consigam garantir a alta velocidade poderão sair da linha do Norte para a nova linha”, adiantou.
“Obviamente que manifestámos as nossas preocupações quanto a esta situação [de impossibilidade de haver uma paragem em Pombal], mas pareceu-nos que este era um processo praticamente fechado”, esclareceu ainda o autarca.
A mesma preocupação é partilhada pela vereadora Odete Alves. “Preocupa-me o facto de não termos uma paragem em Pombal e termos de nos deslocar até Coimbra para apanhar a linha de alta velocidade”, disse a socialista, defendendo que “é completamente inaceitável ter uma linha de alta velocidade que passa pelo concelho, mas não temos uma paragem”.
Assim, o presidente da autarquia propôs à Câmara Municipal “tomar uma posição pela defesa da construção de uma paragem em Pombal, com base naquilo que também é a estratégia para a ferrovia”.
De referir que a IP vai agora “enviar o estudo prévio para o nosso território para acertar o traçado da linha de alta velocidade”, concluiu Pedro Navega.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição impressa de 16 de Dezembro