Jaime Portela quer “reforçar a votação na CDU”

0
405

Foi sem discurso escrito ou alinhado que o cabeça-de-lista da CDU à Câmara Municipal de Pombal se apresentou publicamente a quem, na sexta-feira passada, dia 14, passou pelo Largo do Cardal, no centro da cidade. Perante alguns apoiantes, entre eles o mandatário da candidatura (o advogado Adelino Leitão), e os curiosos que iam passando no local, Jaime Portela, de 62 anos, não desvendou ainda as linhas programáticas da candidatura, mas a ênfase colocada em inúmeros tópicos da intervenção permitiu antever algumas das prioridades da acção comunista no concelho.
“Um bom resultado é reforçar a votação na CDU”, considera o professor de História, que espera que o partido volte a eleger representantes para a Assembleia Municipal (AM), mas também para a Câmara e Juntas de Freguesia, “se possível”. “Eu vou jogar, com toda a certeza, para ganhar”, com o intuito de dar “voz” ao partido no concelho.

Jaime Portela defende a criação da “Provedoria do Munícipe”

Com inúmeras críticas ao trabalho do actual executivo PSD, Jaime Portela diz que é preciso “ouvir as populações” e, nessa medida, defende a criação da “Provedoria do Munícipe”.
“Vocês [os munícipes] é que serão os meus assessores”, assumindo serem necessárias “políticas que vão ao encontro das populações”.
Jaime Portela lamenta que as potencialidades do território, como é o caso da localização e acessibilidades, estejam “mal aproveitadas”. “Estamos a 20km, em linha recta, da costa atlântica, temos dois eixos ferroviários centrais – a linha do Oeste a linha do Norte – e deixamos que algumas valências se apaguem”, nota, incluindo ainda aqui o IC8. O candidato comunista não tem dúvidas de que “Pombal já está no mapa”, mas que pouco tem sido feito para o potenciar.
“O Manjar do Marquês – o arroz de tomate – fez muito mais por Pombal nestes quatro anos do que a Câmara de Pombal, em muitos aspectos”, exemplifica. No campo da atracção de investimento, Jaime Portela gostaria que Pombal tivesse um pólo do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) e diz que é preciso “negociar” para que aqui seja criada “uma valência” daquela instituição de ensino. “Trazia juventude, dinamismo, riqueza, interculturalidade”, constata.
O candidato defende, ainda, que é preciso “fomentar trabalho, mas que não explore os habitantes do concelho”, assegurando que estará sempre “ao lado daqueles que mais sofrem”.
No campo da saúde, o candidato quer uma rede de cuidados que chegue a toda a população e que o hospital de Pombal tenha “mais valências” e “mais gente preocupada com os doentes”. Na educação, o cabeça-de-lista da CDU mostrou-se defensor da escola pública e revelou ainda preocupações no que toca à terceira idade, uma vez que “não conseguem viver a sua aposentadoria de uma forma alegre”. O professor de História alertou, de igual modo, para a “perda constante de população”, dizendo que é preciso “promover a fixação de população”.
Para a Assembleia Municipal (AM), a CDU volta a candidatar Jorge Neves, que assumiu entrar nesta corrida “com a mesma força e determinação” de quando foi eleito para aquele órgão (2013/2017). Membro da Comissão Concelhia de Pombal do PCP, Jorge Neves diz que a AM precisa de “pluralidade”, contrariamente ao que tem acontecido neste mandato. “Fala-se de tudo menos dos problemas dos pombalenses”, nota, acrescentando que “a CDU é a única força política a estar junto das populações”, comprometendo-se a “criar melhores condições para as pessoas”.

Jorge Neves diz que a Assembleia Municipal precisa de “pluralidade”

Quem são os candidatos?
O candidato à Câmara é licenciado em História, sendo professor do 3º Ciclo e Secundário no Agrupamento de Escolas de Ourém. Tem uma vasta experiência no campo associativo, com ligações ao Sporting Clube de Pombal, Rancho Típico de Pombal, Orfeão de Pombal e Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários, onde foi bombeiro durante 25 anos, integrando o quadro de honra da instituição.
No campo profissional, foi bancário em Pombal durante 15 anos, antes de ingressar na docência.
O candidato à Assembleia Municipal de Pombal é já um nome bem conhecido das lides políticas. Jorge Neves, de 51 anos, que é membro da Comissão Concelhia de Pombal do Partido Comunista Português (PCP), reside na Cartaria, na União de Freguesias de Santiago e S. Simão de Litém e Albergaria dos Doze. Iniciou a vida profissional na Construção Civil, foi ainda madeireiro e operário fabril. Desde 1992, é funcionário dos CTT. Foi dirigente sindical do SNTCT, integrou o Teatro Amador da Cartaria desde a sua fundação e foi igualmente membro de diversas comissões de festas daquela localidade. É dirigente da Associação de Melhoramentos, Cultura e Recreio da Cartaria (AMCRC) e vice-presidente do Moto Clube de Pombal, sendo seu co-fundador.

 

Jaime Portela, Jorge Neves e Adelino Leitão

*Notícia publicada na edição impressa de 20 de Maio