Há 27 infectados em lar residencial da CERCIPOM

0
2861

O lar residencial de Pombal da CERCIPOM tem 16 utentes e 11 funcionários infectados com covid-19, disse hoje à agência Lusa a directora-geral da instituição que apoia pessoas com deficiência ou incapacidade.

Segundo Preciosa Santos, “houve uma colaboradora da CERCIPOM, que faz actividades com os utentes deste lar residencial, que no sábado testou positivo”.
“A partir deste caso, começámos a estabelecer as ligações, as redes de contactos mais próximos”, explicou, referindo que foi depois contactada a Linha SNS24 e foram feitos testes.
Preciosa Santos adiantou que dos 20 utentes do lar residencial de Pombal da CERCIPOM (a Cooperativa de Ensino e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Pombal tem outro lar residencial na Guia), 16 testaram positivo.
“Dos 15 colaboradores do lar residencial, 11 testaram positivo e três negativo. Aguarda-se ainda o resultado de um teste”, afirmou a directora-geral, esclarecendo que os utentes, com idades entre os 20 e 65 anos, “vão ficar nos seus quartos a cumprir o isolamento, como determinam as autoridades”.
Quanto aos colaboradores, “foram cumprir o isolamento para as respectivas casas”, declarou, salientando que “há utentes com sintomas muito ligeiros, outros sem sintomas, e estão bem dentro desta situação”.
“Há um residente que tem mais de 60 anos que tem um quadro de doença prévia a esta situação e que foi internado ontem [na quarta-feira], por uma questão de prevenção”, adiantou, assinalando que das indicações que possui “as funcionárias estão, na generalidade, bem de saúde”.
Preciosa Santos disse que, na sequência deste surto, tem havido articulação com a câmara municipal, Protecção Civil, Segurança Social e Saúde Pública.
A responsável da CERCIPOM informou ainda que das colaboradoras do Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) que estavam a fazer as actividades de apoio neste lar residencial durante o dia, três testaram positivo ao novo coronavírus, incluindo a primeira de sábado.
“O nosso CAO não está a funcionar esta semana e vai ser desinfectado. Fizemos também testes a todos os restantes colaboradores e aos utentes desta valência, que aguardamos”, disse a directora-geral.
O CAO funciona no edifício-sede da CERCIPOM.
Preciosa Santos informou que alguns funcionários do CAO estão agora a dar apoio no lar residencial de Pombal, pelo que, à data de hoje, não foram necessários recursos humanos de retaguarda.
“Nas outras valências da CERCIPOM não foi registado qualquer caso de covid-19 e estamos a trabalhar no sentido de ultrapassar esta situação, fazendo tudo para garantir aos utentes e funcionários tranquilidade e segurança”, acrescentou.

Lusa