Alunos da Escola Gualdim Pais baptizaram estrela e planeta

0
188

As propostas dos alunos da Escola Gualdim Pais, de Pombal, para atribuir nomes a exoplanetas e estrelas hospedeiras foram as vencedoras pela organização do concurso promovido pela União Astronómico Internacional (IAU) no âmbito do seu centenário. Em Portugal, a iniciativa foi organizada pelo Núcleo Interactivo de Astronomia (Nuclio), com o apoio da Sociedade Astronómica Portuguesa.
A iniciativa tinha como objectivo atribuir o nome ao sistema planetário que se situa na constelação do Unicórnio a 117 anos-luz da Terra. “A estrela é uma anã vermelha e o planeta extra-solar é um gigante gasoso com cerca de 47% da massa de Júpiter”.
Através do seu grupo disciplinar de Físico-Química, constituído pelos professores Ana Isabel Domingues, Carlos Santos e Lília Querido, a escola Gualdim Pais decidiu promover um concurso para a escola de um nome para a estrela e um nome para o planeta.
Participaram cerca de 80 alunos, tendo os referidos docentes seleccionado duas propostas. “O nome escolhido para a estrela foi ‘Lusitânia’ (uma homenagem ao antigo nome da região Ocidental da Península Ibérica, onde está parte de Portugal) e para o exoplaneta foi ‘Viriato’ (líder dos povos lusitanos)”, refere Lília Querido.
“A proposta da nossa escola foi enviada através de um formulário online, tendo posteriormente o comité nacional do concurso seleccionado as oito melhores propostas, que foram submetidas a votação pública”, refere a docente, referindo que a votação contou com “mais de 5.000 votos”, tendo vencido os nomes sugeridos pelos alunos pombalenses.
Os resultados foram divulgados a 17 de Dezembro numa conferência realizada em Paris (França).

Partilhar
Artigo anteriorMunicípio projecta melhorias para a Formiga
Próximo artigoExternato de Albergaria quer alargar oferta ao Secundário
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.