Tertúlia esclarece sobre espondilite anquilosante

0
160

Doentes e especialistas em Reumatologia reúnem-se no próximo dia 15 de Junho, sábado, às 15h, na Junta de Freguesia de Pombal, para a EA Tea, uma tertúlia focada em desmistificar dúvidas e curiosidades de doentes com espondilite anquilosante (EA). A iniciativa da Associação Nacional de Espondilite Anquilosante (ANEA) e Novartis, com o apoio da Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR), pretende dar oportunidade aos doentes de esclarecer as dúvidas que têm sobre a doença e o tratamento, criar um espaço de partilha e troca de experiências entre doentes e SPR e promover uma aproximação entre doentes e profissionais de saúde.
As EA Teas são parte do EA Team, um programa de sensibilização que visa promover o conhecimento sobre a Espondilite Anquilosante, contribuir para um diagnóstico precoce da doença e melhorar a qualidade de vida dos doentes. Sob o tema de base “EA: Manter uma vida Activa com Qualidade”, as tertúlias decorrem em quatro núcleos da ANEA, um deles em Leiria, e cada um indica as principais necessidades de informação a nível local que serão abordadas.
A tertúlia´, dinamizada pelo Núcleo Regional de Leiria/Pombal tem como fio condutor da discussão “Medicamentos Biotecnológicos: Dúvidas e Curiosidades”, conta com a moderação de Marília Rodrigues, assistente hospitalar de reumatologia, do Centro Hospitalar de Leiria. Aos esclarecimentos dos profissionais juntar-se-ão as experiências de quem vive com a doença, revela Natália Martins, fisioterapeuta no Hospital Distrital de Pombal e membro da ANEA.
Ainda que acompanhe doentes há muitos anos, Natália Martins diz que não há números concretos sobre esta realidade no concelho de Pombal, mas lembra que o diagnóstico precoce “é fundamental”. Neste campo, os médicos de clínica geral assumem um papel de relevo, apelando a que estejam atentos aos sinais. “Há dores de crescimento que se confundem com a doença”, explica a fisioterapeuta, a título de exemplo, acrescentando que se trata de uma “doença auto-imune” e que se manifesta, mais cedo ou mais tarde, de acordo com o tipo de vida de cada um.
Em Pombal, um dos casos mais recentes diz respeito a um jovem de 19 anos a quem a espondilite anquilosante foi detectada precocemente. Além da medicação e das sessões de fisioterapia, faz uma “vida normal”, salienta aquela profissional. “A doença é controlável, embora não tenha cura”, nota.
Através da ANEA, os associados podem encontrar esclarecimentos e apoio a vários níveis, inclusivamente jurídico, e acordos com estâncias termais.